PAICV São Vicente acusa Augusto Neves de falta de transparência na aprovação de projectos

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,24 jan 2020 14:58

O PAICV em São Vicente acusa o presidente da Câmara Municipal de falta de transparência na aprovação de projectos para investimentos privados na ilha. Em causa, segundo o presidente da Comissão Política Regional, está a execução de projectos que não correspondem ao inicialmente colocado em consulta pública.

Em conferência de imprensa, Alcides Graça justifica a sua posição com as obras para construção do hotel Cruzeiro, propriedade do grupo Fonseca & Santos, inicialmente projectado para ser uma galeria, com espaços comerciais e outras valências.

“Não se sabe quando, nem como o projecto deixou de ser uma galeria e passou a ser um hotel. Quero deixar aqui claro que não está em causa o projecto, ninguém duvide que o PAICV quer mais quartos e mais hotéis para alavancar o turismo nesta ilha, o que está em causa é este comportamento, eticamente reprovável, executado pela dupla presidente da Câmara Municipal e promotor do projecto, que anunciam e aprovam um projecto, mas executam um outro completamente diferente, enganando ostensivamente os munícipes de São Vicente”, denuncia.

Alcides Graça aponta o dedo ao presidente da Câmara municipal, que tutela a pasta de urbanismo.

“O que está a falhar digamos é o branqueamento do próprio presidente da Câmara Municipal, que é também vereador para a área do urbanismo. Devia ser o principal fiscalizador dessas situações, e é o próprio que autoriza a execução de um projecto diferente. Ninguém pode executar um projecto sem conhecimento, aprovação e consentimento do gabinete técnico municipal. Se permite isto, é o principal responsável por esta situação”, considera.

“A Assembleia Municipal deveria fazer o seu papel de órgão fiscalizador dos actos da Câmara Municipal. Infelizmente a Assembleia omite, nesse aspecto, as suas responsabilidades”, acrescenta.

O presidente da Comissão Política Regional do PAICV recorda que não é a primeira vez que uma situação do género acontece e pede a actuação da Assembleia Municipal.

“Temos é que denunciar estas situações. O PAICV não pode fazer muito mais do que isso. Denunciamos e quem de direito deve tomar providências e travar, porque se isso virar moda, aquilo que é aprovado hoje, não sabemos o que vai ser executado amanhã”, alerta.

Alcides Graça pede um esclarecimento público ao contrato de cedência do espaço, entre a autarquia e o proprietário do hotel.

O hotel Cruzeiro terá 70 quatros e 140 camas. Segundo informações do proprietário, trata-se de um edifício multiusos, orçado em 460 mil contos, cuja conclusão está prevista para Dezembro deste ano.

À Rádio Morabeza e Expresso das Ilhas, Manuel Fonseca esclareceu que o projecto foi alterado depois de se verificar que o plano inicial não tinha viabilidade. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,24 jan 2020 14:58

Editado porSara Almeida  em  17 out 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.