​Formalizado protocolo entre Governo e Câmara do Porto para requalificação de centros históricos

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,7 fev 2020 11:23

Eunice Silva e Rui Moreira
Eunice Silva e Rui Moreira(Rádio Morabeza)

A situação de Cabo Verde em termos de centros históricos requer uma planificação e um plano de intervenção cuidada do ponto de vista física e regulamentar. Posição assumida esta manhã, em Mindelo, pela Ministra das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação.

Eunice Silva discursava durante a cerimónia de formalização do protocolo entre o Governo e a Câmara Municipal do Porto, em Portugal, na área de requalificação de centros históricos no arquipélago. Em São Vicente, a ministra explica que as intervenções abarcam o centro histórico e a habitação social.

“Em São Vicente vamos intervir no centro histórico, mas também na habitação. Em breve as nossas equipas técnicas de Cabo Verde e do Porto vão estar a trabalhar nesse quadro regulamentar e no plano de acção física para podermos intervir, e virmos a ter, nos próximos tempos uma cidade mais integrada, a periferia mais consolidada com os centros urbanos. Passarmos a trabalhar num quadro mais planificado, e a cidade crescer de forma planificada, o que não tem acontecido em nenhuma parte de Cabo Verde”, refere.

O acordo tem por objectivo apoiar as autoridades cabo-verdianas na elaboração do plano estratégico para a reabilitação do centro histórico do Mindelo, que foi estendida às cidades da Ribeira Brava, em São Nicolau, e São Filipe, no Fogo. A parceria resulta da geminação de São Vicente com a cidade do Porto desde 1992.

Rui Moreira, Presidente da Câmara Municipal do Porto, realça a importância do protocolo.

“Acreditamos que desta forma podermos partilhar a nossa experiência e contribuir de facto para que Cabo Verde possa, em termos de planeamento das suas cidades, dos seus centros históricos, dar um passo a frente. É muito importante. Os centros históricos são de facto um património. É um património material que funda os patrimónios imateriais das populações, porque lhes dá o sentimento de pertença e lhes dá a garantia de que aquilo que são os seus valores patrimoniais e históricos não serão perdidos”, diz.

O município português vai partilhar a sua experiência de 15 anos de reabilitação e preservação do centro histórico da cidade lusa, que é hoje património da humanidade e “uma zona de grande atracção”.

A ministra Eunice Silva garante que as equipas técnicas dos dois países começam em breve a trabalhar para a materialização do acordo.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,7 fev 2020 11:23

Editado porSara Almeida  em  2 nov 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.