Ulisses destaca mobilizações sociais da Diáspora para apoiar os mais vulneráveis nas ilhas

PorSheilla Ribeiro,28 abr 2020 12:14

O primeiro-ministro, Ulisses Correia, destacou hoje aquilo que chama de “um aspecto muito positivo”, que são as mobilizações de pessoas na diáspora no sentido de enviarem remessas para ajudar os mais necessitados em Cabo Verde, neste período de crise arrastado pela pandemia COVID-19.

Ulisses Correia e Silva falava durante uma reunião com Embaixadores e Chefes de Missão no exterior, via videoconferência, na qual esteve acompanhado do ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, Luís Filipe Tavares.

O Chefe de governo disse que a diáspora sofre duplamente pelo facto de estar em países com impactos de COVID-19 “muito fortes” e com o facto de ter uma ligação “muito estreita e forte” com o país.

“E é nessas circunstâncias também muito difíceis da vida das pessoas, das nossas comunidades que nós registamos um aspecto também muito positivo, porque esta ligação com a terra tem-se traduzido em remessas para as famílias. Praticamente em todas as ilhas, todos os concelhos há uma mobilização social muito forte, forte solidariedade e isto tem ajudado muitas famílias a ultrapassarem dificuldades que vivem neste momento. Particularmente as famílias mais vulneráveis”, destacou.

O governante aproveitou ainda para endereçar condolências e pêsames às famílias cujos entes queridos faleceram, em particular em Brockton, no EUA, onde os relatos dos acontecimentos “são mais duros”.

“Nos outros países temos também informação de falecimentos, mas esta concentração em Boston e particularmente em Brockton exige que façamos um endereço muito especial. Porque a exposição é grande, não só relativamente às pessoas que foram infectadas, às mortes registadas, mas o impacto sobre a nossa comunidade que tem uma representação importante nessa cidade americana coloca-nos numa posição de preocupação adicional”, frisou.

Na altura, Ulisses Correia e Silva memorou que o governo tem tomado medidas restritivas atempadamente, antes da declaração da pandemia pela OMS e antes do primeiro caso em Cabo Verde. Como exemplo, citou a interdição de voos internacionais, a seguir a interdição de transportes interilhas e várias outras restrições relacionadas com o distanciamento social.

Entretanto, sublinhou, nenhuma dessas restrições impede a entrada e a disseminação do vírus.

“E é nesta fase que nós estamos, acabamos por terminar e concluir o Estado de emergência em 6 ilhas, temos neste momento 3 em estado de emergência, maior preocupação com Santiago, particularmente a Praia, e Boa Vista. os próximos dias teremos uma avaliação para saber se haverá ou não prolongamento do estado de emergência”, declarou, reforçando que esta é uma decisão do Presidente da República, ratificada pelo Parlamento.

Cabo Verde soma um total de 114 casos confirmados, dois casos recuperados e uma morte. A ilha de Santiago conta com 60 casos positivos de COVID-19, a Boa Vista contabiliza 53 e São Vicente um.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,28 abr 2020 12:14

Editado porSara Almeida  em  6 fev 2021 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.