"Todos os embaixadores são políticos", defende ministro dos Negócios Estrangeiros

PorAndre Amaral,17 set 2020 15:01

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Filipe Tavares, defendeu hoje que se "deve desdramatizar a questão dos embaixadores políticos, porque todos eles são políticos sendo ou não de carreira".

A declaração foi feita, esta manhã, após a tomada de posse de José Luís Livramento e de José Pedro Oliveira como embaixadores nos EUA e no Brasil respectivamente.

"Todos os embaixadores são políticos, o cargo é político. O embaixador representa o Estado de Cabo Verde, por isso é que é nomeado pelo Presidente da República", apontou Luís Filipe Tavares.

Recordando que há "critérios muito específicos" que fundamentam a escolha de um embaixador, o ministro referiu que as escolhas têm sempre relação com os objectivos de Cabo Verde no que respeita às relações de política externa com os diferentes países "neste caso, por exemplo, para o nosso embaixador em Washington temos um objectivo estratégico e o embaixador escolhido tem o perfil adequado, a mesma coisa para o embaixador no Brasil: um percurso pessoal e profissional sólido. Daí a razão da escolha".

Durante a cerimónia de tomada de posse José Luís Livramento, que sucede a Carlos Veiga como embaixador de Cabo Verde nos EUA, destacou que o mundo "conheceu actualmente uma nova realidade trazida pela pandemia" de COVID-19. "Questões estratégicas como a cadeia mundial de logística e fornecimento, relocalização das grandes indústrias, o proteccionismo comercial foram realimentadas pela pandemia com grande impacto nas linhas de força da geopolítica internacional", referiu José Luís Livramento.

Com uma maior complexidade nas relações internacionais "que impôs uma maior capacidade adaptativa à política externa nacional", o novo embaixador nos EUA acredita que "só uma coisa não mudou: Cabo Verde tem de se apresentar sempre, em qualquer contexto, como um valor para os geradores de oportunidades mundiais".

Já José Pedro Oliveira, que vai representar Cabo Verde em Brasília, acredita estar "à altura da empreitada que nos aguarda".

"Para fazermos golos em Brasília", defendeu José Pedro Oliveira, "temos de contar com uma retaguarda muito cúmplice aqui em Achada Santo António". "Temos de pensar em Cabo Verde em primeiro lugar", acrescentou o novo embaixador de Cabo Verde no Brasil.

"Como qualquer outra nação, Cabo Verde alimenta-se da dedicação e do labor dos seus filhos residentes e da diáspora. Esta dedicação é traduzida em atitudes diferentes do cidadão de acordo com a conveniência conjuntural do país", acrescentou José Pedro Oliveira.

O novo embaixador terminou o seu discurso, defendendo que hoje Cabo Verde "exige como patriotismo a procura incessante de concórdia e a harmonia nacionais para que este Estado, erigido no meio de dificuldades quase inumanas, possa dar um futuro normal, digno e tranquilo às gerações vindouras".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,17 set 2020 15:01

Editado porSara Almeida  em  27 jun 2021 23:21

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.