Cerca de 58% dos eleitores foram às urnas nas recentes eleições autárquicas

PorInforpress, Expresso das Ilhas,7 nov 2020 14:11

Os dados definitivos da CNE sobre as recentes eleições autárquicas em Cabo Verde, publicados no Boletim Oficial (BO) desta sexta-feira, revelam que 58,4% (por cento) dos inscritos nos cadernos eleitorais foram às urnas contra 41,60% que se absteve.

Segundo a Comissão Nacional de Eleições (CNE), a maior abstenção registou-se no município da Praia, onde 55,6% dos eleitores preferiram não votar, seguido da ilha do Sal (44,4%), São Vicente (43,4%) e São Miguel (41,3%), no interior de Santiago.

O órgão superior de administração eleitoral em Cabo Verde indicou, por outro lado, que a menor abstenção (26,1%) se verificou em Santa Catarina do Fogo, seguido dos municípios de São Lourenço dos Órgãos (26,8%), São Domingos (27,2%), Paul (28,5%), Ribeira Grande de Santiago (29,1%), São Salvador do Mundo (31,7%), Tarrafal de S. Nicolau (32,8%), Mosteiros (33,1%), Tarrafal (33,2%), Porto Novo (33,5%), Ribeira Brava (33,7%), Ribeira Grande (33,9%), Santa Catarina (37,2%), Boa Vista (37,9%), São Filipe (38,1%) e Brava (39,0%).

No cômputo geral, o Movimento para a Democracia (MpD-poder) obteve 92.147 votos, conseguindo 14 câmaras municipais, enquanto o Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) teve 76327 votos, conquistando oito autarquias, com destaque para o maior município do País.

A União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID-oposição) obteve 10.886 votos e o Partido Popular (oposição, sem assento parlamentar) não foi para além dos 408 votos.

Além de ver fugir a câmara municipal da Praia, o MpD perdeu a maioria que detinha em São Vicente e em Santa Catarina, considerados, a par da Praia, os maiores municípios de Cabo Verde.

Por sua vez, o PAICV, em cerca de 30 anos de municipalismo, pela primeira vez, conquistou as câmaras municipais de São Domingos e Tarrafal, todas na ilha de Santiago.

Entre os grupos independentes mais votados, destacam-se o Movimento Independente Mas Soncent-MIMS (2357 votos), seguido de grupo independente Alternativa Ribeira Grande -ARG (1719 votos); Santa Catarina Acima de Tudo –SAT (1855 votos), Sociedade em Acção para a Liberdade-SAL (1032 votos), Liderança, União, Trabalho e Amor LUTA (790 votos) e Liga da Sociedade Civil da Praia-LSCP (753 votos).

A nível nacional, participou na corrida às estas eleições do passado 25 de Outubro um total de 65 candidatos, sendo 22 do MpD, 22 candidatos do PAICV, sete da UCID, dois do PP (um no município da Praia e um para Assembleia Municipal na Boa Vista), e mais 12 candidatos independentes que disputam as câmaras municipais da Ribeira Grande (1), de Santa Catarina (1), São Domingos (1), Tarrafal de São Nicolau (1), Sal (1) Tarrafal (2), Praia (4) e São Vicente (1).

As primeiras eleições autárquicas cabo-verdianas realizaram-se a 15 de Dezembro de 1991. Concorreram dois partidos políticos (MpD e o PAICV) e 14 grupos independentes. É a maior participação de independentes numa eleição autárquica em Cabo Verde.

Quatro grupos de independentes venceram as autárquicas de então, a saber: O Movimento para a Renovação de S. Vicente (MPRSV), encabeçado por Onésimo Silveira; o Grupo Pró Sal (PRO-S), liderado por José Azevedo; o Grupo Independente para o Desenvolvimento do Paul (GIDP), que teve à frente Alcídio Tavares e o Grupo Alternativo para o Desenvolvimento do Maio (GAPDM), comandado por Amílcar Andrade.
Nessa altura estiveram inscritos nos cadernos eleitorais 173.953 eleitores.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Inforpress, Expresso das Ilhas,7 nov 2020 14:11

Editado porSheilla Ribeiro  em  12 ago 2021 23:21

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.