​PM pede reforço de acção para baixar nível de transmissão da COVID-19 em São Vicente

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,17 nov 2020 19:39

Ulisses Correia e Silva
Ulisses Correia e Silva(Rádio Morabeza)

O Primeiro-ministro considera que o aumento de casos positivos da COVID-19, nas últimas semanas, em São Vicente exige um reforço de acção, primeiro, dos cidadãos. Ulisses Correia e Silva alerta que é preciso baixar o nível de transmissão agora para evitar situações mais complicadas no futuro, disse hoje o governante.

Ulisses Correia e Silva falava aos jornalistas após um encontro com as autoridades locais, para se inteirar das medidas em curso para responder aos impactos do novo coronavírus na ilha do Monte Cara. Para o chefe do executivo, em São Vicente está-se a fazer um bom combate à COVID-19, desde o início da pandemia, apesar do aumento do número de casos nas últimas semanas.

“Esse bom combate tem-se traduzido num controlo da propagação da COVID-19, mas nas últimas semanas, particularmente nos últimos 14 dias, tem havido um aumento de casos positivos que exige um reforço de acção. O primeiro reforço de acção é dirigido aos cidadãos porque só ganharemos este combate se todos cumprimos regras. Eu sei que não é agradável usar máscaras, mas tem que ser, e temos que usá-la mesmo, não porque é obrigatório hoje, mas porque é obrigatório para a nossa protecção e para a protecção dos outros. O distanciamento social é a parte mais difícil, mas sempre que possível evitar ajuntamentos, aglomerações”, apela.

O Primeiro-ministro refere que o período do Natal e Fim de Ano que se aproxima é particularmente difícil, relativamente àquilo que a população está habituada. O governante realça que o período deve ser passado com condicionamento.

image

“Temos que baixar agora para não termos situações mais complicadas. Estou ciente daquilo que o Serviço Nacional da Saúde tem estado a fazer. Os profissionais de saúde têm estado à altura, não só na prevenção, mas de respostas. Temos apenas 40 casos ativos, mas isto não é motivo de baixarmos as armas. É preciso que haja redução da transmissão porque esta pandemia afecta também a economia”, refere.

O delegado de saúde de São Vicente, Elísio Silva, afirma que a taxa de ataque na ilha é de 0,4%, abaixo da média nacional. O responsável de saúde garante que as medidas sanitárias têm sido reforçadas todos os dias, mas apela à população no sentido de começarem a respeitar as recomendações das autoridades.

“Em São Vicente tomamos medidas contra a COVID-19 desde o início. Estamos a reforçar as nossas medidas sanitárias a cada dia e em diferentes pontos da ilha. Mas a população de São Vicente tem que começar a cumprir porque sabemos que nem todos cumpram com as medidas sanitárias que a Delegacia de Saúde tem divulgado. Nas últimas semanas temos tido aumento dos casos, mas também há muitos recuperados”, aponta.

Neste momento a ilha de São Vicente tem 40 casos ativos de COVID-19, sendo dois confirmados esta terça-feira, e 5 óbitos, 291 recuperados, num total acumulado de 336 casos da doença.

O país contabiliza 416 casos ativos do novo coronavírus, 9438 recuperados, 103 óbitos por COVID, e 2 transferidos, perfazendo um total de 9960 casos positivos acumulados.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,17 nov 2020 19:39

Editado porAndre Amaral  em  29 nov 2020 6:19

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.