Tabanca e Língua Cabo-verdiana elevadas a património cultural imaterial

PorAndre Amaral,26 jul 2019 15:25

2

A decisão de elevar a tabanca e a língua cabo-verdiana a património cultural imaterial foi tomada esta semana na reunião do Conselho de Ministros, anunciou hoje o ministro da Cultura, Abraão Vicente.

"559 anos após o descoberta de Cabo Verde o povo das ilhas reconhece a sua própria lingua, a língua inventada por nós, como património a defender, a preservar e a divulgar", apontou hoje o ministro da Cultura, Abraão Vicente, na sua página no Facebook, após a confirmação da língua cabo-verdiana como património cultural imaterial de Cabo Verde.

O ministro agradece a António Jorge Delgado, Carlos Reis, Corsino Tolentino, David Hopffer Almada, José Luis Livramento, Fernanda Marques, Leão Lopes e Manuel Veiga, todos eles antigos ministros da Cultura, por terem assinado o "Manifesto da Língua Materna à categoria de Património Cultural Imaterial Cultural" no que Abraão Vicente considera ser uma prova de "de sentido de Estado e de sentido da história".

Abraão Vicente comentou também a confirmação da Tabanca como património cultural imaterial de Cabo Verde. 

"Depois da Morna, as festas de S. João, agora a a vez da Tabanca. Outros processo de outros géneros estão a ser trabalhados com empenho e afinco", destacou.

"Desde 2016 iniciamos um processo de resgate da Tabanka reabilitando os grupos, as capelas, figuras emblemáticas e os cativos. A classificação da tabanka Património Cultural Imaterial é o ponto alto de um processo efetivo de valorização desta manifestação de forma fazer jus ao célebre slogam: “tabanca ka ta morri”", conclui o ministro num outro texto publicado no Facebook.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,26 jul 2019 15:25

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 ago 2019 23:22

2

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.