Alô Baía! Festival regressa a casa

PorNuno Andrade Ferreira,12 ago 2022 10:56

Hoje, sábado e domingo, o areal da Baía das Gatas volta a receber o mais icónico festival de música do país

E com isto passaram três anos. Depois da última edição, em 2019, o Festival Internacional de Música da Baía das Gatas está finalmente de regresso à casa de sempre. Será este fim-de-semana, para alegria de milhares de são-vicentinos e muitos visitantes, das ilhas e do estrangeiro.

A melhoria da situação pandémica permite que, após duas edições em formato digital, o evento regresse ao palco tradicional. No terreno, tudo a postos, garante a Câmara Municipal de São Vicente, por intermédio do vereador Rodrigo Martins.

“Iniciámos desde cedo os preparativos. Há um mês, fizemos uma deslocação à Baía das Gatas, com uma equipa multidisciplinar, colaboradores da autarquia e várias instituições, como Polícia Nacional, Forças Armadas, Cruz Vermelha, Instituto Marítimo Portuário e Transcor, no sentido de definir aquilo que seria o festival, face às alterações do espaço, tendo em conta as obras de requalificação da Baía das Gatas”, explica.

De entre as novidades, contam-se novas áreas de estacionamento, devidamente sinalizadas, e uma outra disposição das barracas, “em local mais propício”, com o objectivo de não comprometer a circulação na praia.

“Neste momento, estamos a ultimar pequenas coisas, mais ligadas ao palco, porque em termos de organização do espaço já está tudo pronto”, observa Rodrigo Martins.

A Câmara Municipal promete mais segurança no recinto, melhores acessibilidades, saídas de emergência e um novo espaço para a Cruz Vermelha.

As taxas cobradas aos comerciantes foram revistas em baixa. A procura supera a oferta, também na zona das tendas de alimentação, de acordo com a edilidade.

“Uma das vertentes do festival é a dinamização da economia local, para além de ser um importante produto turístico. A Câmara Municipal de São Vicente tem feito um esforço no sentido de ano após ano melhorar o festival, porque se estamos a apostar no turismo, a criar melhores condições em termos de infraestruturas hoteleiras, não podemos deixar para trás os nossos atractivos turísticos. O turismo faz-se com produtos e se não houver bons produtos, também não teremos turismo ao nível que almejamos”, nota.

Financiado principalmente com recurso a verbas próprias do município, através do orçamento anual, o Baía das Gatas conta tradicionalmente com o apoio de empresas locais e nacionais. O vereador Rodrigo Martins gostaria de assistir a um maior envolvimento do sector privado, mas compreende as dificuldades enfrentadas perante anos de crise.

“O engajamento das empresas poderia ser mais forte, mas há empresas que participam, que estão com a câmara há muitos anos e continuam a apoiar. Esperamos, nos próximos anos, aumentar esse leque de empresas que apoiam o festival, porque muitas acabam por ter lucros interessantes com o festival”, realça.

O Festival de Música da Baía das Gatas nasceu em 1984. A edição de 2022 prolonga-se por três dias, 12, 13 e 14. 

____________________________________________________

Música para diferentes ouvidos

Com diferentes estilos musicais, ao jeito de um público heterogéneo, o cartaz do Baía 2022 combina tradição e modernidade, com preferência para artistas nacionais, residentes no país ou na diáspora.

A abertura será sexta-feira, dia 12, depois das 20:30, com sons nacionais e dois quartetos. Um feminino, formado por Tchicau, Aline Frederico, Carmen Silva e Cremilda Medina e outro masculino, com Toi Pinto, Jorge Sousa, Leonel Almeida e Djosinha. A noite seguirá com Cabo Verde Show, antes de Soraia Ramos e o icónico grupo português de rap, Wet Bed Gang.

Sábado, dia 13, a partir das 20:30, a noite começará com um dos artistas relevação do último ano, Ary Kueka. O alinhamento terá continuidade com Ceuzany, Gai Dias, Constantino Cardoso, Anísio Rodrigues, Nenny, Loony Johnson e Julinho KSD, nome artístico de Júlio Lopes, que editou em 2021 o álbum de estreia, “Sabi na Sabura”.

O terceiro e derradeiro dia do festival, domingo, 14, abre ao final da tarde (17:30), prolongando-se por noite e madrugada (e segunda-feira é feriado, já agora), com Edwin Vibez, Giiio e Mister High, Tiago Silva, Hilar e Dieg, Kiddye Bonz, Mark Delman, Batchart, Calema, Djodje e Morgan Heritage. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1080 de 10 de Agosto de 2022. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Nuno Andrade Ferreira,12 ago 2022 10:56

Editado porAndre Amaral  em  1 dez 2022 23:28

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.