"Ainda não conhecemos todos os nossos recursos marinhos"

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,19 nov 2018 15:04

João Duarte, José Correia e Mariano Castellon
João Duarte, José Correia e Mariano Castellon(Rádio Morabeza)

É necessário alcançar o equilíbrio entre preservação dos recursos marinhos e o desenvolvimento socioeconómico da população. Para isso, são necessários estudos científicos para determinar os recursos existentes nos mares de Cabo Verde e permitir uma exploração sustentável, defendeu-se hoje na Ocean Week.

A preocupação foi expressa no final da manhã de hoje, em São Vicente, pelo presidente da Faculdade de Engenharia e Ciências do Mar da Universidade de Cabo Verde, João do Monte Duarte, durante a sua participação no painel sobre “Oportunidades e desafios da economia do mar”, apresentado no âmbito da Cabo Verde Ocean Week.

“Não é fácil alcançar este ponto de equilíbrio porque, por um lado, queremos explorar ao máximo os recursos existentes para ajudar no sustento das famílias e desenvolvimento do país, mas por outro temos a preocupação que esses recursos não se esgotem. A forma de alcançarmos isto é termos dados fidedignos sobre a quantidade de recursos que temos, e isso só é possível através da investigação dedicada para que possamos ter informação sobre aquilo que está disponível e qual a sua evolução num horizonte temporal, para que a sua exploração actual não afecte a sua própria existência no futuro”, explica.

O país já assumiu o oceano como fundamental para a economia, e um factor essencial na diferenciação do nível de desenvolvimento. Mas a concretização de todo o potencial proporcionado pelo oceano exige abordagens responsáveis e sustentáveis relativamente ao seu conhecimento, desenvolvimento económico e preservação ambiental. Aqui, a investigação tem um papel fundamental. Neste sentido, diz o responsável da Uni-CV, é necessário que sejam alocados recursos para a recolha de dados.

“São necessários apoios para que os investigadores da Universidade de Cabo Verde possam realizar o trabalho de recolha dos dados e dar o tratamento necessário para extrair a informação correcta”, afirma.

Presente no mesmo painel, também o coordenador da Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente, José Correia, diz que é preciso conhecer os recursos marinhos que existem nas águas nacionais, para que se possa projectar a sua exploração sustentável. Em entrevista à Rádio Morabeza, o responsável destaca que é necessária uma estratégia nacional de investigação marítima.

“Penso que ainda não conhecemos todos os nosso recursos marinhos, portanto, é preciso, não só no âmbito da Zona Económica Especial de Economia Marítima em São Vicente, mas em toda a estratégia de desenvolvimento nacional, ter uma estratégia clara de investigação marítima. Um país que é 99% mar, deve conhecer o mar”, realça.

São Vicente é palco, durante esta semana, da Cabo Verde Ocean Week, que tem como tema “nosso oceano, fonte de riqueza e bem-estar". O evento propõe transformar o arquipélago num centro de economia azul. Neste sentido, até sexta, a ilha do Porto Grande recebe diversos eventos e convidados nacionais e internacionais para discutir a problemática dos recursos marinhos.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,19 nov 2018 15:04

Editado porFretson Rocha  em  8 ago 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.