​Paulo Veiga quer integração regional com base nas potencialidades do Atlântico

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,27 fev 2019 7:51

Lutar contra o plástico, contra a pesca ilegal não declarada e não regulamentada e contra a sobre-exploração dos recursos naturais que ameaçam a biodiversidade das águas atlânticas. Eis alguns dos desafios que se colocam aos arquipélagos do atlântico, realça o Governo.

Quem o diz é o secretário de Estado adjunto da Economia Marítima, que defende uma convergência e empenho conjunto para fazer face a essas problemáticas. Paulo Veiga discursava na tarde desta terça-feira, em São Vicente, na abertura da conferência internacional “A Macaronésia: laboratório da biodiversidade no Atlântico”.

“Promover uma integração regional baseada nas potencialidades deste nosso oceano é garantir o desenvolvimento sustentável, sistematizado e harmonizado que possa beneficiar futuras gerações dos Estados-membros que constituem a Macaronésia. É cada vez mais real a importância crescente dos oceanos para as comunidades numa perspectiva de desenvolvimento sustentável, e a Macaronésia não pode, nem deve estar aquém desta dinâmica internacional e nem distraído em relação ao diálogo que hoje se faz relativamente a economia azul”, defende.

O Governante recorda que o executivo definiu, no seu programa, o sector marítimo e a importância dos oceanos como um dos pilares fundamentais para o desenvolvimento económico e sustentável do país. Paulo Veiga afirma que a prioridade é transformar a exploração sustentável do mar de Cabo Verde em riqueza.

“A implementação destas políticas permite o desenvolvimento de estratégias para impulsionar a economia azul, o aproveitamento responsável dos recursos naturais, a criação de oportunidade de emprego e de negócios, a preservação do ciclo de vida dos ecossistemas, a sustentabilidade dos oceanos e da biodiversidade marinha, bem como a criação de sinergias entre o turismo e o mar”, realça.

O presidente da Assembleia Nacional, Jorge Santos pede que todas as atenções estejam voltadas para o mar.

“O que se quer com esta conferência é abrir um debate de todos e voltar a cara para o mar. Cabo Verde tem no mar um grande potencial de desenvolvimento e grandes perspectivas para o presente e para o futuro”, diz.

O encontro desta terça-feira, em São Vicente, teve como objectivo preparar as próximas Jornadas Parlamentares Atlânticas, que se realizam no próximo ano, em Cabo Verde.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,27 fev 2019 7:51

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 nov 2019 23:21

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.