​BAD projecta crescimento de Cabo Verde em 4,1% este ano e 4,8% em 2020

PorExpresso das Ilhas, Lusa,18 jan 2019 7:47

O Produto Interno Bruto de Cabo Verde deve crescer 4,1% este ano e 4,8% em 2020. A projecção consta do relatório divulgado esta quinta-feira pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), que alerta para o peso da dívida pública do arquipélago.

No relatório “Perspectivas Económicas Africanas”, apresentado ontem pelo BAD, em Abidjan, capital económica da Costa do Marfim, a instituição projectou um crescimento de 3,9% da economia cabo-verdiana em 2018, e considera que "a dívida pública tem estado acima de um limiar sustentável", depois de alcançar 126% do PIB, em 2017.

Quanto aos outros países lusófonos em África, o BAD espera um crescimento de 1,2% este ano e 3,2% em 2020 para Angola, depois de recessões de 0,2% em 2017 e 0,7% no ano passado.

Para Moçambique, os analistas calculam um crescimento de 4,5% em 2019, e de 5% para o próximo ano, mas alertam para a necessidade de uma restruturação da dívida, sob pena de "aprofundar as dificuldades económicas e abrandar o crescimento económico".

A Guiné-Bissau, economia com grande dependência do setor primário, que "representa 45,3% do PIB, quase 85% do total de emprego e mais de 90% das exportações", viu o seu PIB estabilizar num valor estimado em 5,3%, em 2018.

O BAD calcula que a Guiné-Bissau continue com crescimentos anuais da mesma ordem, alcançando os 5,1%, em 2019, e 5,0%, no próximo ano, "sustentados por preços favoráveis de castanha de caju face a colheitas mais fracas e por elevado investimento público em energia, construção e abastecimento de água".

Ainda assim, a instituição financeira considera que a instabilidade política e volatilidade dos preços do caju - "principal fonte de rendimento de mais de dois terços das famílias" - tornam a perspectiva económica "altamente incerta".

Também o PIB de São Tomé e Príncipe, aponta ainda o BAD, deverá ter um crescimento na ordem dos 5% nos próximos dois anos. O BAD calcula um crescimento do PIB de 4,6%, seguindo-se um crescimento de 5,5% para 2020, continuando a tendência registada nos últimos dois anos.

Em 2018, a economia santomense cresceu 4,1%, depois de ter crescido 3,9% no ano anterior.

O BAD acredita que o os setores da construção, serviços e agricultura terão fortes desempenhos nos próximos dois anos, em São Tomé e Príncipe, mas alerta para "o nível elevado de empréstimos não rentáveis, que pode enfraquecer ainda mais o setor da banca e restringir a expansão do crédito".

A Guiné Equatorial é o único país africano da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) com previsão de recessão económica para 2019 e 2020, de acordo com um relatório do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) - toda a riqueza produzida no país - manter-se-á negativo (recessão) em 2019 (–2,7%) e em 2020 (–2,5%), "em resultado de uma diminuição da produção dos hidrocarbonetos e dos ajustes orçamentais", lê-se no documento.

As previsões surgem depois de um período de quatro anos em que a Guiné Equatorial viu o seu PIB diminuir cerca de 29%.

Já o défice orçamental, cifrado em 0,9% do PIB no final de 2018, após uma descida de dois pontos percentuais face ao ano anterior, deverá apresentar uma melhoria, reduzindo-se para 0,5%, em 2019, e 0,3%, em 2020.

A taxa de inflação, que atingiu os 0,6% em 2018, na previsão do BAD, deverá subir até aos 1,4% em 2019 e 1,9% em 2020, mantendo-se "abaixo dos 3% estabelecidos pela norma comunitária da CEMAC [Comunidade Económica e Monetária da África Central]".

A produção de hidrocarbonetos, que em 2017 representava "56% do PIB", sofreu uma diminuição em 2018.

No ano passado, a produção petrolífera diária da Guiné Equatorial reduziu-se em 6,02% face a 2017, produzindo menos 8.000 barris, segundo um relatório hoje divulgado pela Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,18 jan 2019 7:47

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 set 2019 23:22

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.