Operadores satisfeitos com a entrada de Carlos Santos como Ministro do Turismo e Transportes

PorSusana Rendall Rocha,19 jan 2020 9:37

Licenciado em Economia e com larga experiência profissional no sector turístico, Carlos Duarte Santos, recém-empossado Ministro do Turismo e Transportes, em substituição de José Gonçalves é um tecnocrata e, para diversos operadores turísticos e dirigentes contactados pelo Expresso das Ilhas, uma aposta ganha do Governo de Cabo Verde para tutelar sectores-chave para o desenvolvimento do país.

O Presidente da Câmara Municipal do Sal não poupa elogios ao actual Ministro que foi, até à tomada de posse de sexta-feira passada, Presidente da Assembleia Municipal da ilha.

“Ponderado, sereno e muito competente. Deu um grande contributo à ilha do Sal como um presidente da assembleia municipal interventivo, prestigiando todos os órgãos sociais e reconhecido por todas as bancadas partidárias”, elogiou Júlio Lopes que considera ter sido a escolha certa para a substituição de José Gonçalves que, a seu ver, deixou um legado importante, “tendo resolvido alguns problemas graves do país, nomeadamente nos transportes aéreos e no dossier TACV”.

Carlos Santos será, não tem dúvidas, “também um bom ministro. Conhecedor do Turismo, ao longo da prática profissional conseguiu granjear uma larga experiência que agora será de mais-valia para a resolução de questões concretas do sector”.

Para o autarca salense, uma das principais prioridades de actuação deverá ser garantir que as receitas arrecadadas pelo sector do turismo possam ser mais sentidas nos bolsos dos cabo-verdianos, “para que os nacionais possam tirar maior partido das externalidades do turismo”.

“À semelhança do que já está a acontecer com os músicos na ilha do Sal, que já conseguem viver bem da sua arte, graças à grande demanda dos hotéis e resorts da ilha, queremos garantir o mesmo para os restantes artistas, artesãos, mas também para os agricultores e toda a classe empresarial endógena”, garante Júlio Lopes que conta com a parceria do governo central nesta missão.

Promover a sustentabilidade do sector

Para tal, sugere ao novo responsável pelas pastas do turismo e transportes, “a intensificação do trabalho do Governo na promoção da sustentabilidade social e ambiental do sector”.

Também com larga experiência no turismo, Patone Lobo, considera Carlos Santos uma excelente escolha para dirigir os destinos do país no sector turístico, um dos mais importantes impulsionadores da economia nacional.

“Não desfazendo as capacidades de José Gonçalves, Carlos Santos é uma pessoa que dá todas as garantias ao sector”, enaltece o empresário contactado pelo Expresso das Ilhas que é de opinião que o anterior ministro se encontrava “sobrecarregado”.

“É certo que ele já tem pouco tempo na actual legislatura, mas pode ser que continue pois é uma pessoa honesta e capaz, que, acredito, pode fazer um bom trabalho e é isso que estamos a esperar dele”, afirma.

Lobo diz-se preocupado com a quebra na facturação dos hotéis do Sal. “Ao contrário do que tem sido divulgado, o que nós sentimos aqui no Sal é que o número de turistas diminuiu, pois para nós os passageiros em trânsito não têm muita influência. Contabilizamos uma quebra de dez mil contos em dois meses de época alta, em relação aos mesmos meses do ano passado no Odjo d’Água”.

Patone Lobo considera que este prejuízo é motivado “em parte pela saída da Thomas Cook, criando uma situação de quase monopólio da operadora internacional TUI, mas também pela necessidade de apostar mais na qualidade do destino turístico e na tranquilidade dos visitantes com melhores condições de segurança, higiene, saneamento e combate à criminalidade”.

Por esses motivos e, embora acredite no potencial de todas as ilhas para desenvolver um turismo diferenciado, Patone Lobo identifica como prioritária a intervenção do actual ministro na resolução dos problemas das ilhas do Sal e da Boa Vista, no que concerne às questões ambientais e de segurança.

Escolha acertada

Também o Presidente da Câmara de Turismo de Cabo Verde considera feliz a escolha de Carlos Santos para garantir a efectiva implementação de medidas que possam intensificar as receitas do Turismo e “para que o sector possa alcançar finalmente a dinâmica ambicionada”.

“Pela primeira vez, Cabo Verde tem, à frente desse importante departamento, uma pessoa do sector, em vez de um burocrata. Isso pode mudar tudo”, partilhou Gualberto do Rosário para quem “a equipa governativa sai significativamente reforçada”.

Através da sua directora de operações e marketing, Ana Abade, o Grupo Oásis Atlântico Hotels também mostrou a sua satisfação e orgulho pela escolha do administrador do grupo para Cabo Verde, para liderar, de ora em diante, a política nacional, nos sectores do Turismo e dos Transportes.

“Esta nomeação é um reconhecimento público das excelentes competências profissionais e pessoais que ele tão bem demonstrou ao longo de 10 anos ao serviço da nossa empresa. A sua experiência de gestão e conhecimento do turismo internacional serão importantes trunfos para o Governo de Cabo Verde.

Com cinco dias apenas de governação, o agora Ministro Carlos Duarte Santos tem em mãos assuntos quentes e desafiadores como as concessões aeroportuárias e marítimas, mas também os transportes interilhas por céu e por mar, a Cabo Verde Airlines, a relação com a Binter, a reforma do sector aeronáutico e do sector do turismo. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 946 de 15 de Janeiro de 2020. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Susana Rendall Rocha,19 jan 2020 9:37

Editado porAntónio Monteiro  em  1 jul 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.