COVID-19: Cabo Verde compra materiais médicos na China

PorExpresso das Ilhas,6 abr 2020 12:49

1

Contrato de fornecimento de materiais médicos já está fechado e os equipamentos de protecção individual para a prevenção da COVID-19 deverão ser enviados para Cabo Verde num voo charter.

A aquisição foi feita com recurso a financiamento do Banco Mundial e, dentro de dias, deverão chegar a Cabo Verde cerca de 500.000 máscaras de protecção, 200.000 luvas, 30.000 batas impermeáveis, 20.000 viseiras de protecção, 20.000 testes rápidos, kits de transporte de testes, entre outros materiais.

A operação está a ser coordenada pelo Ministério das Finanças e pelo Ministério da Saúde e os materiais de saúde serão transportados directamente de Xangai para Cabo Verde num voo cargueiro que fará escala no Dubai.

O Governo resolveu avançar para esta operação devido às dificuldades que Cabo Verde vem conhecendo na aquisição desses tipos de materiais nos tradicionais fornecedores europeus em virtude da directiva da União Europeia que desde 13 de Março proíbe a exportação desses produtos para fora no espaço europeu.

Ainda no âmbito do financiamento do Banco Mundial, o governo já formalizou a aquisição de 30 ventiladores e vários materiais para equipamento do laboratório de virologia.

Ouvido pelo Expresso das Ilhas, Bruno Santos, Director do Gabinete de Assuntos Farmacêuticos, explicou que o governo está "neste momento a fazer os trâmites normais com a empresa e os contratos, e pensamos ter, ainda esta semana, a resposta de quando é que virá. Mas ainda não há uma data certa".

O objectivo, acrescentou, é que, depois de assinado o contrato, a encomenda seja transportada para Cabo Verde no referido voo de carga.

O Gabinete de Projectos Especiais do Ministério da Finanças está "a fazer toda a parte contratual e de seguros e tudo o que faz parte do projecto", avançou.

Tendo em conta o contexto internacional, em que todos os dias surgem notícias de encomendas de material médico que são destinadas a um país e acabam por ser desviadas para outro, Bruno Santos explicou que "a credibilidade da empresa a que estamos a fazer a encomenda" é garantia de que o material vai chegar a Cabo Verde.

"Tem havido muitos relatos de encomendas que foram feitas e que, afinal, quando chegaram não era o que se estava à espera", reconheceu dizendo que para evitar que o mesmo se passe com a encomenda feita por Cabo Verde "tivemos de envolver a Embaixada da China em Cabo Verde, porque a Embaixada avisou-nos que qualquer empresa a quem quiséssemos fazer compras era conveniente que fosse através deles, para que a embaixada possa verificar a veracidade ou a credibilidade da empresa".

O Director do Gabinete de Assuntos Farmacêuticos reiterou que Cabo Verde vai agora "fazer a compra, fretar um avião e torcer para que a coisa corra bem. Mas temos estado a envolver o Ministério dos Negócios Estrangeiros, a Embaixada de Cabo Verde na China e, também, a Embaixada da China em Cabo Verde".

O governo está também em contactos com Cuba, no sentido de uma cooperação na área da Saúde. Conforme avançou ontem, o ministro da Saúde, em conferência de imprensa sobre a COVID-19 em Cabo Verde, "o mais tardar amanhã [hoje]" deverá haver "um contacto via telefone com o vice-ministro da Saúde de Cuba para fechar esse processo".

Cuba, segundo Arlindo do Rosário, já respondeu e "mostrou disponibilidade em ajudar e cooperar", assegurou o ministro dizendo que os pormenores desse acordo serão discutidos esta segunda-feira.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,6 abr 2020 12:49

Editado porSara Almeida  em  21 set 2020 23:21

1

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.