Providência cautelar adia posse do novo PCA da Câmara de Comércio do Barlavento

PorInforpress,1 out 2020 7:17

A posse de Jorge Maurício como novo presidente do conselho de administração da Câmara de Comércio do Barlavento foi adiada devido ao pedido de impugnação da lista ‘TED’, de Rafael Vasconcelos, cuja candidatura foi rejeitada por “alegadas irregularidades”.

A cerimónia de posse de Jorge Maurício, ex-PCA da Enapor, como novo líder da Câmara de Comércio do Barlavento (CCB) deveria acontecer esta terça-feira, no auditório da Universidade do Mindelo, presidido pelo ministro da Indústria, Comércio e Energia, Alexandre Monteiro.

Em declarações à Inforpress, o empresário Alexandre Novaes número dois da lista TED – Por um Tecido Empresarial Dinâmico – explicou que submeteram a providência cautelar para impugnar a eleição de Jorge Maurício, por entenderem que o processo foi “extremamente autoritário”.

Segundo a mesma fonte, o advogado considerou que “há matéria jurídica para impugnar” a assembleia geral de 04 de Setembro, porque a candidatura da lista TED foi rejeitada com a justificativa de que “faltava um carimbo” e porque “não tinham indicado a representação das ilhas”, uma exigência, acrescentou, que “não consta dos estatutos.

“A impugnação foi feita pelo advogado António Delgado e o processo foi extremamente autoritário. Por uma simples falta de carimbo resolveram eliminar a nossa lista, num momento de participação histórica, quando a mesa da assembleia-geral poderia dizer vocês tem 30 minutos para trazer o carimbo”, explicou o empresário.

Além disso, adiantou Alexandre Novais, a assembleia-geral “aconteceu sem a presença dos dois vogais”, mas, “apenas com o presidente, cuja empresa constava da lista vencedora”, o que o levou a considerar que “há muitas coisas a dizer do ponto e vista da ética e da transparência”.

Alexandre Novais, que pertence a lista de Rafael Vasconcelos, disse que ficaram “espantados” com o convite da cerimónia de posse do novo PCA. No seu entender, trata-se de “uma fuga em frente da direcção da Câmara de Comércio que, mesmo sabendo que havia uma providência cautelar, agendou a cerimónia”.

“Fomos ao tribunal com o nosso advogado e soubemos que havia alguns dias que estavam a tentar notificar a CCB, mas não conseguiam localizar o presidente. Mas, no dia seguinte ao que parece eles receberam a notificação”, acrescentou.

Em jeito de remate, a mesma fonte observou que “a CCB, além de ser uma associação privada, ela é importante para esta região e ela tem que estar acima dos jogos de grupos e dos interesses particulares e tem que pautar para ser a melhor organização possível para dar o melhor contributo à região”.

As tentativas de contacto da Inforpress com o presidente cessante da Câmara de Comércio do Barlavento, Belarmino Lucas, e com o recém-eleito PCA, Jorge Maurício, revelaram-se infrutíferas.

A Câmara de Comércio do Barlavento surgiu da fusão entre a Associação Comercial, Industrial e Agrícola do Barlavento (ACIAB) e a Câmara do Comércio Indústria e Serviços da região (CCIASB).

A fusão das duas entidades aconteceu numa assembleia geral extraordinária em Janeiro de 2012.

Esta associação conta com cerca de 400 sócios, entre os quais profissionais liberais, micro, pequenas, médias e grandes empresas, que integram a rede empresarial, que teve origem na Associação Comercial, Industrial e Agrícola do Barlavento (ACIAB), fundada em 1918.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Inforpress,1 out 2020 7:17

Editado porSara Almeida  em  14 abr 2021 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.