Ritmo de crescimento económico voltou a abrandar no 4º trimestre de 2020

PorExpresso das Ilhas,12 fev 2021 9:49

O ritmo de crescimento económico voltou a abrandar no quarto trimestre 2020, registando o valor mais baixo dos últimos 22 trimestres consecutivos, evidenciando que o clima de negócios é desfavorável, anunciam os dados divulgados, hoje, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo os dados inquérito de conjuntura aos agentes económicos divulgados pelo INE, o indicador de confiança situa-se acima da média da série, mantendo-se no mesmo nível do trimestre homólogo, dando sinais de que a conjuntura no sector é favorável. 

No decorrer do quarto trimestre de 2020 a insuficiência da procura e o excesso de burocracia e regulamentações estatais foram os principais constrangimentos do sector referidos pelos inquiridos.

Em relação ao turismo, de acordo os resultados obtidos no quarto trimestre 2020, constatou-se que o indicador de confiança manteve a tendência descendente dos últimos trimestres, registando o valor mais baixo dos últimos 21 trimestres consecutivos, indicando desta forma de que a conjuntura no sector é desfavorável.

Os empresários apontaram a insuficiência da procura e outros factores (sobretudo os relacionados com a pandemia da COVID - 19) como sendo os principais obstáculos do sector nesse trimestre.

No que se refere ao sector da construção, o indicador manteve a tendência descendente do último trimestre, mantendo-se no mesmo nível da média da série. A conjuntura no sector é desfavorável. Os empresários indicaram a insuficiência da procura e o elevado absentismo da mão-de-obra como sendo os principais constrangimentos do sector no segundo trimestre 2020.

No comércio em feira, o indicador de confiança registou o valor mais baixo dos últimos 47 trimestres consecutivos, situando-se abaixo da média da série. Perante tal resultado, nota-se que a conjuntura neste sector é desfavorável.

Já na indústria transformadora, o indicador de confiança manteve a tendência descendente do último trimestre. O referido indicador registou o valor mais baixo desde início da série e a conjuntura no sector é desfavorável. Segundo os empresários, o excesso de burocracia e regulamentações estatais e outros factores, designadamente a pandemia da COVID - 19, foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do quarto trimestre 2020. 

Nos transportes e serviços auxiliares aos transportes, os dados mostram que o indicador contrariou a tendência ascendente do último trimestre, registando o valor mais baixo dos últimos 16 trimestres consecutivos. A conjuntura no sector é desfavorável. De acordo com os empresários, a insuficiência da procura e outros factores (pandemia da COVID - 19) foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do 4º trimestre 2020. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,12 fev 2021 9:49

Editado porAndre Amaral  em  15 mai 2021 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.