Sindicato quer aumento salarial alargado aos trabalhadores do quadro comum em regime de contrato

PorDulcina Mendes,25 jan 2019 14:58

A SACAR e a UNTC-CS dizem-se descontentes com o Governo, porque os funcionários do quadro comum em regime de contrato não foram abrangidos pelo aumento salarial de 2,2% facto de que só aperceberam quando viram a folha de salário.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública Central (SACAR), José Carlos Moniz, disse hoje, em conferência de imprensa, que o sindicato está do lado dos trabalhadores, a acompanhar o trabalho do Governo, e aberto ao diálogo.

“Apenas 1.692 funcionários do quadro comum foram contemplados com o referido aumento, num universo de aproximadamente 18 mil, deixando de fora uma maioria expressiva. Exemplificando pelo Ministério da Agricultura e Ambiente, em que temos 1.415 trabalhadores, apenas 227 são do quadro, e 1.188 em regime de contrato”, indica.

Essa medida do Governo, conforme explica, deixa os funcionários "estupefactos", "desiludidos" e "desamparados". O sindicato classifica a situação de injusta, em particular num momento em que a classe política fala em aumentar os seus próprios salários.

“Instamos o Governo a prosseguir com medidas por forma a pôr cobro à situação de injustiça, favoritismo e desigualdade de tratamento, permitindo a abertura ao diálogo com os sindicatos, como forma de encontrar soluções conjuntas, concretas e consentâneas, e que o aumento salarial de 2,2 por cento seja extensivo a todos os funcionários do quadro comum, em regime de contrato, e que igualmente sejam abrangidos pela medida da reforma antecipada”, apela.

A secretária-geral da UNTC-CS, Joaquina Almeida, acrescenta que o aumento de 2,2 por cento não satisfaz e que, por outro lado, deveria abranger a todos os trabalhadores do quadro comum da função pública

“Na reunião de Concertação Social não foi descriminado quem da função pública, do quadro comum, iria ou não beneficiar desse aumento, o porque agora esses trabalhadores foram confrontados, na folha do salário, com essa diminuição. Hoje, quando se fala que a classe política recebe mal, está-se a discutir a possibilidade de se aumentar a classe, e nós não entendemos isso”.

De referir que o Governo anunciou em Outubro do ano passado que os funcionários do quadro comum da Administração Pública teriam este ano um aumento de 2,2%. Para os pensionistas, esse aumento varia de acordo com o valor da pensão.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,25 jan 2019 14:58

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  15 jul 2019 23:22

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.