Parceiros com avaliações distintas sobre encontro de Concertação Social

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,17 ago 2018 16:29

Joaquina Almeida não saiu satisfeita da reunião de Concertação Social. No final do encontro, a secretária-geral da UNTC-CS afirmou que os trabalhadores "ficaram mais uma vez desprotegidos".

Joaquina Almeida diz que o governo recusa-se a aceitar a revindicação da UNTC-CS, no que diz respeito ao reajuste salarial.

"Infelizmente, os trabalhadores de Cabo Verde ficaram mais uma vez desprotegidos pelo governo que se recusa terminantemente a aceitar a nossa revindicação no que tange ao reajuste salarial, alegando que houve um aumento da massa salarial no pessoal do quadro privativo, com promoção e progressão e o pessoal do quadro comum não foi contemplado absolutamente com nada", avança.

Para o Presidente do CCSL, José Manuel Vaz, a actualização salarial deve ser feita em função da inflação. Por isso, considera que o acordo já é um ganho.

"Isso é um acordo que nós assinámos. O reajustamento salarial é feito em função da taxa de inflação esperada (...) é um ganho porque já tínhamos perdido e pensamos que isso seja retomado agora”, explica.

Do lado dos patrões, o presidente da Câmara de Comércio de Barlavento, Belarmino Lucas, diz sair satisfeito da reunião, porque as propostas das entidades patronais foram bem recebidas.

"As propostas, as sugestões das entidades patronais foram bem recebidas. Convêm dizer que ainda estávamos a discutir apenas as linhas gerais do Orçamento de Estado, as linhas que vão orientar a elaboração efectiva do orçamento", avança.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,17 ago 2018 16:29

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.