A criminalidade em Cabo Verde por tipo de crime

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,27 fev 2019 15:06

Crimes contra património foram os crimes mais frequentes em 2018, com um total de 10.309 ocorrências em todo o país. Só em Santiago, ocorreram mais de metade dos delitos (5.703), indica o relatório da Polícia Nacional (PN) sobre os dados das ocorrências registadas em 2018.

De acordo com o documento, a seguir a Santiago surge São Vicente (2.593), Fogo (466), Sal (476), Santo Antão (393), Boa Vista (368), Maio (124), São Nicolau e Brava (93).

Dentro desta tipificação, o roubo foi o crime que mais ocorreu, com 4.887 situações registadas. Mais uma vez, a maior ilha do país foi palco de mais de metade das ocorrências, tendo assinalado 2.943 roubos no ano passado. A seguir surge São Vicente (1.282), Sal (2.015), Boa Vista (196), Fogo (110), Santo Antão (67), Maio (34), Brava (32) e São Nicolau (8).

Analisando os números relativamente a furto, com um total de 3.433 ocorrências, em 2018, Santiago volta a predominar com 1.676 infracções registadas. Segue-se a tendência anterior, com a ilha do 'Monte Cara' em segundo lugar, com 968 casos. Logo a seguir surgem Fogo (210), Santo Antão (174), Sal (164), Boa Vista (132), São Nicolau (54), Maio (44) e Brava (11).

No conjunto, os crimes contra o património diminuíram 11,7%, em 2018, relativamente a 2017.

Os números da criminalidade ilha a ilha

Sem surpresa, Santiago, a ilha que concentra mais de metade da população nacional, registou 9.479 ocorrências policiais em 2018, o maior número a nível nacional. Ainda assim, os dados indicam uma redução de 24,6% (-3.095), comparativamente a 2017, aponta a Polícia Nacional no relatório sobre os dados das ocorrências registadas em 2018.

Crimes contra pessoas

Crimes contra pessoas foi a segunda tipologia criminal mais frequente no ano transacto. A PN registou 7.966 ocorrências. Em Santiago ocorreram mais de 50% do total nacional (3.876). Segundo os dados, a seguir à maior ilha do país, surgem São Vicente (1.365), Fogo (925), Santo Antão (526), Sal (526), Boa Vista (239), Brava (205), São Nicolau (171) e Maio (133).

Dentro desta tipologia criminal, ofensa corporal foi o delito mais cometido no ano passado, tendo registado um total de 3.005 casos registados. Mais uma vez, a ilha de Santiago aparece em primeiro lugar, com 1.684 ocorrências. São Vicente vem logo a seguir, com 524 registos, seguido por Fogo (259), Santo Antão (163), Sal (159), Boa Vista (81), São Nicolau (49), Brava (49) e Maio (37).

A Violência Baseada no Género (VBG) é o segundo crime mais frequente, dentro dos crimes contra pessoas, registando 1.641 casos em 2018. Segundo os dados da Polícia Nacional, em Santiago foram 674 os casos ocorridos e participados. No segundo lugar da tabela surge a ilha do Porto Grande, com 344. Seguem-se Fogo (204), Santo Antão (116), Sal (106), Brava (82), Boa Vista (71), São Nicolau (24) e Maio (20).

No que se refere às ameaças, foram registadas 1.159 transgressões em todo o país, em 2018, sendo que Santiago teve 511. São Vicente é segundo com 225 casos. Fogo aparece logo a seguir (151), seguido de Santo Antão (92), Sal (57), São Nicolau (42), Boa Vista (31) e Maio (26) e Brava (24).

O relatório da PN destaca a injúria como o quarto crime mais cometido, dentro da tipologia criminal de ofensas contras pessoas. Foram 681, só no ano passado. Por ilha, Santiago mais uma vez aparece em primeiro lugar, com um total de 239 situações registadas, seguido de Fogo (154), São Vicente (118), Santo Antão (80), São Nicolau (30), Brava (19), Sal (16), Boa Vista (13) e Brava (12).

De acordo com o mesmo documento, Santiago volta a liderar a nível dos maus tratos a menores, com 57 ocorrências, num total de 106 em todo o arquipélago. Fogo é segundo, com 14, mais um caso que Santo Antão (13). Logo a seguir, vem São Vicente (8), Boa Vista (5), Brava (5), São Nicolau (2) e Sal (2). Maio não tem qualquer registo.

No que diz respeito ao abuso sexual de menor, o número ascende a 79 em todo o território nacional. Em Santiago foram cometidos 23 delitos, contra 18, em São Vicente. A ilha da Boa Vista surge na terceira posição (16), seguida do Fogo (10), Santo Antão (7), São Nicolau (3) e Brava (2). Nas ilhas do Sal e Maio não foram cometidos qualquer infracção do género.

Relativamente aos homicídios, os dados dão conta de 37 casos em 2018, menos um que em 2017. Mais de metade dos crimes, 19, foi cometida em Santiago. Sal teve 6 homicídios. Seguem-se Fogo (3), Santo Antão (3), São Vicente e Brava, com dois cada, e São Nicolau e Boa Vista com uma ocorrência . Maio não registou nenhum caso de homicídio.

Os dados de 2018 apontam que os crimes contra pessoas registaram uma diminuição de 26% (-2.720 ocorrências), quando comparado com o ano anterior.

A criminalidade em Cabo Verde diminuiu 18,5% em 2018, comparativamente a 2017. Redução acontece pelo terceiro ano consecutivo, segundo dados apresentados segunda-feira, pela Polícia Nacional (PN). No ano de 2018, a PN registou 18.162 ocorrências, uma diminuição de 18,5% (-4.127 ocorrências), comparativamente ao ano anterior.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,27 fev 2019 15:06

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 nov 2019 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.