Cabo Verde mantém-se sem casos autóctones de paludismo

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,11 set 2019 11:53

​Cabo Verde mantém-se sem casos autóctones de paludismo desde o ano passado, mas continua a registar casos importados, com registos, nesta semana, de mais duas ocorrências, na Praia, provenientes da Nigéria.

A informação é confirmada pela delegada de Saúde da Praia, Ulardina Furtado, que adianta que desde o início do ano já foram registados, só na capital, um total de nove casos.

Os últimos registos são referentes a dois irmãos provenientes da Nigéria, registados esta terça-feira. Os pacientes estão estáveis, sob controlo médico.

Ulardina Furtado, convidada a falar sobre a situação das doenças arboviroses, após a queda das primeiras chuvas, garante que não há nenhuma situação fora do comum.

“Está tudo sob controlo e nós estamos a fazer o nosso trabalho no terreno, como está programado", garante, ouvida pela Inforpress. 

Neste momento, a Delegacia de Saúde da Praia tem no terreno cerca de 40 pessoas distribuídas por três equipas, que estão a fazer a luta anti-larval, pulverização e educação para a saúde, junto da população.

Cabo Verde está numa fase de pré-eliminação e eliminação do paludismo e o objectivo nacional é eliminar a doença até 2020. Desde 2018 que não existem casos locais da doença.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,11 set 2019 11:53

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 nov 2019 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.