CNDHC distingue vários trabalhos

PorDulcina Mendes,26 set 2019 8:12

A Comissão Nacional de direitos Humanos e Cidadania (CNDHC) distinguiu, esta quarta-feira, vários trabalhos que concorreram ao Prémio de Direitos Humanos.

Este ano, foram premiados trabalhos em cinco categorias: activista social, comunicação social, escola amiga dos direitos humanos, organizações não governamentais (ONG) e artigo científico.

Os resultados foram apresentados esta quarta-feira, no dia em que foi comemorado, pela primeira vez, o Dia Nacional dos Direitos Humanos, 25 de Setembro.

Na categoria comunicação social, foi distinguido o trabalho da jornalista Keita Violante, por um trabalho produzido para a TV Record Cabo Verde. Sara Almeida, do Expresso das Ilhas, e Lourdes Fortes, da Rádio Morabeza, receberam uma menção honrosa, por uma reportagem conjunta.

Na categoria activista social, o prémio ficou com a presidente da Associação Mon na Roda, Miriam Medina. Isabel Moniz, presidente da Associação de Pais e Amigos de Crianças e Jovens com Necessidades Especiais (Colmeia), recebeu uma menção honrosa. 

Já na categoria Escola Amiga dos Direitos Humanos, uma das novidades deste ano, o prémio foi atribuído à escola secundária Pedro Gomes, pelo trabalho desenvolvido no âmbito das celebrações dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

O prémio na categoria Artigo Cientifico ficou com a psicóloga Francisca Freire Monteiro (Kika Freire). Nesta categoria, foram ainda distinguidos, com menção honrosa, António José Baptista e Joceline Marques.

Por último, na categoria ONG, foi premiada a Associação Colmeia e a menção honrosa foi para a Citi-Habitat.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,26 set 2019 8:12

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  13 jun 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.