​Prisão preventiva para agente da PN suspeito de violação sexual dentro de esquadra

O Tribunal da Comarca de Santa Catarina de Santiago decretou, sábado, prisão preventiva ao agente da Polícia Nacional suspeito de um crime de agressão sexual com penetração contra uma mulher dentro da esquadra local.

Outros dois agentes, suspeitos de crimes de tortura e tratamento cruel no mesmo processo, ficaram sob Termo de Identidade e Residência (TIR). A informação foi avançada, em comunicado, ao início da noite deste domingo pelo Ministério Público (MP).

Em causa, segundo o MP, esteve uma denúncia pública contra agentes da Polícia Nacional que trabalham na Esquadra de Santa Catarina.

“Depois de realização de diligências que permitiram coligir indícios considerados suficientes, o Ministério Público emitiu mandados de detenção fora de flagrante contra três elementos da Polícia Nacional”, lê-se.

Os suspeitos foram presentes, sábado, ao tribunal da Comarca de Santa Catarina para o primeiro interrogatório judicial e aplicação de medidas de coacção.

O elemento da Polícia Nacional suspeito de agressão sexual com penetração ficou em prisão preventiva. Outros dois ficaram sob Termo de Identidade e Residência, sendo que um deles é obrigado a apresentar-se quinzenalmente na Secretaria do Ministério Público.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Rádio Morabeza,7 out 2019 7:29

Editado porFretson Rocha  em  17 out 2019 14:19

1

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.