Embaixada e Presidente da República acompanham investigação à morte de Luís Geovani Rodrigues

Luís Geovani Rodrigues
Luís Geovani Rodrigues

O Presidente da República tem acompanhado de perto o caso da “morte brutal” do jovem Luís Geovani Rodrigues, que fazia estudos superiores em Bragança, Portugal. A Embaixada em Portugal espera o "cabal" esclarecimento das circunstâncias da morte do cidadão cabo-verdiano.

“Acompanho, designadamente através de contactos com a Embaixada de Cabo Verde em Portugal, o caso da morte brutal do jovem conterrâneo Luís Geovani Rodrigues, que fazia estudos superiores em Bragança”, escreveu o Chefe de Estado na sua página oficial de Facebook.

Além de apoio aos familiares, Jorge Carlos Fonseca diz que tem acompanhado as investigações e o processo.

Já a Embaixada de Cabo Verde em Portugal pede a clarificação “cabal” das circunstâncias da morte de um estudante cabo-verdiano após ferimentos graves sofridos numa agressão em Bragança, em 21 de Dezembro.

Em comunicado, a embaixada na capital portuguesa refere que o embaixador Eurico Monteiro está a “acompanhar de perto as investigações e os seus desenvolvimentos”, com vista a “clarificar-se de forma cabal as circunstâncias da morte e determinar-se as eventuais responsabilidades”.

No dia 21 de Dezembro passado, o estudante cabo-verdiano do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) Luís Giovani dos Santos Rodrigues terá sido agredido em Bragança.

Transportado para o Hospital de Santo António, no Porto, o jovem estudante, de 21 anos, acabou por morrer no dia 31 de Dezembro.

O comunicado refere que a Embaixada entrou em contacto com o Comando de Bragança da Polícia de Segurança Pública (PSP) “para recolher informações, que lhe foram prontamente prestadas, com as limitações compreensíveis na circunstância”.

“O processo foi encaminhado à Polícia Judiciária para o competente tratamento. Foi ordenada também a realização da autópsia para se conhecer com precisão a causa da morte”, esclarece ainda a Embaixada, que sublinha estar a apoiar a família da vítima.

“O embaixador falou com o senhor secretário de Estado do Ensino Superior de Portugal, Prof. Sobrinho Teixeira, a este propósito, tendo recebido deste votos de pesar pela ocorrência”, lê-se.

Luís Giovani era natural da ilha cabo-verdiana do Fogo, tendo o município de Mosteiros publicado uma nota sobre a sua morte, recordando que tinha viajado em Outubro para Bragança, “para seguir o curso de Design de Jogos Digitais” no IPB.

“Giovani era um dos mais promissores artistas de Mosteiros, tendo-se destacado na banda Beatz Boys, um grupo integrado por jovens formados pela paróquia de Nossa Senhora da Ajuda e artistas oriundos do agrupamento De Martins”, lê-se na mesma mensagem da Câmara Municipal dos Mosteiros.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress, Lusa,4 jan 2020 18:49

Editado pormaria Fortes  em  23 set 2020 23:21

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.