MP acusa 33 pessoas e duas empresas de vários crimes em megaoperação antidroga

PorExpresso das Ilhas, Lusa,21 jan 2020 15:34

O Ministério Público acusou 33 pessoas singulares e duas colectivas de vários crimes, numa megaoperação antidroga na cidade da Praia, em que já tinham sido detidos 14 suspeitos.

Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República (PGR) começou por informar que correram nos termos da lei, no Departamento Central de Acção Penal, os autos de instrução no âmbito dos quais foram realizadas buscas domiciliárias na localidade de Eugénio Lima, cidade da Praia, no âmbito da denominada "Operação Tróia".

A operação culminou com a apreensão de vários produtos estupefacientes, armas, viaturas e quantias em dinheiro, no montante global superior a 16 milhões de escudos, bem como a detenção de 14 pessoas.

Na mesma nota, o Ministério Público adiantou que encerrou a instrução a 30 de Dezembro de 2019, deduziu a acusação e requereu julgamento em processo comum e com intervenção do Tribunal Colectivo para 33 pessoas singulares e duas pessoas colectivas.

Segundo a mesma fonte, estão "fortemente indiciados" da prática de vários crimes, uns em coautoria, outros em autoria material e outros ainda em concurso real efectivo.

O Ministério Público acusa as pessoas singulares da prática dos crimes de tráfico agravado de estupefacientes, associação criminosa, lavagem de capitais agravado, armas, comércio ilícito de armas, fraude fiscal e tráfico de estupefacientes de menor gravidade.

Já as pessoas colectivas, são acusadas da prática do crime de lavagem de capitais agravado e adesão a associação criminosa.

O Ministério Público informou ainda que intentou a acção de confisco contra 15 dos 35 arguidos e requereu ainda a manutenção das medidas de coacção anteriormente aplicadas aos arguidos.

"Por se manterem inalterados os pressupostos que determinaram a respectiva aplicação, promovendo que aqueles que até ao momento não se encontravam sujeitas a qualquer medida ficassem a aguardar os ulteriores trâmites processuais sob Termo de Identidade e Residência", explicou a PGR, indicando que requereu que fosse aplicada às duas pessoas colectivas a medida de coacção de suspensão de todas as suas actividades.

Em Outubro do ano passado, a Polícia Judiciária cabo-verdiana anunciou a detenção do 14.º suspeito de envolvimento no caso, que em Julho levou à apreensão de quase 12 toneladas de cocaína no bairro de Eugénio Lima, na Praia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,21 jan 2020 15:34

Editado porSara Almeida  em  28 mai 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.