Privados e sindicatos “satisfeitos” com visão de Cabo Verde para 2030

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,19 fev 2020 6:15

Os representantes do privado, da CCSL e da UNTC-CS manifestaram-se, esta terça-feira, satisfeitos com o roteiro para a construção da visão do país para 2030, alegando que o desenvolvimento só será possível com a execução dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Em declarações à imprensa, após a reunião do Conselho da Concertação Social, o representante do sector privado, José Luís Neves, adiantou que o futuro do sector e o cumprimento dos ODS passarão, fundamentalmente, pela construção de empresas sustentáveis do ponto de vista económico e financeiro, mas também ambiental e da responsabilidade social.

Quanto ao emprego jovem, o representante dos empresários congratulou-se com a decisão do Governo e o debate, quarta-feira, na Assembleia Nacional, da proposta de lei que propõe a reactivação do Observatório do Emprego, agora designado Observatório do Mercado de Trabalho.

O presidente da Confederação Cabo-Verdiana dos Sindicatos Livres (CCSL), José Manuel Vaz, por seu turno considerou o debate do tema levado à reunião da Concertação Social “positivo” por se tratar de um documento abrangente no que toca aos sectores do desenvolvimento económico e social do país.

“Tendo em consideração que foi uma primeira apresentação, patenteamos a proposta no sentido de que, em outros debates sobre o documento, fossem envolvidos sindicatos de outros sectores”, disse.

Em relação à proposta para a criação de um Observatório do Mercado de Trabalho, Manuel Vaz considerou-a positiva visto que irá permitir aos parceiros terem uma noção exacta e científica do mercado de trabalho no país.

Para a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, o balanço é “positivo”.

“Demos o nosso aval positivo porque tratava-se de uma primeira fase, um roteiro, que virá de novo à concertação social para debate. A par disso, nós estávamos esperançados de que o Governo fosse trazer à negociação alguma coisa para os trabalhadores devido às manifestações feitas em Janeiro”, disse. Algo que não aconteceu.

Quanto às revindicações dos trabalhadores respeitantes à reposição do poder de compra, Joaquina Almeida adiantou que a UNTC-CS não irá 'baixar os braços' e que a central sindical irá continuar a lutar contra a injustiça social, precaridade laboral, discriminação laboral, entre outros assuntos.

No que toca ao Observatório do Mercado de Trabalho, realçou que a UNTC-CS deu igualmente o seu aval positivo pois entende tratar-se de uma “boa medida”, destacando-se o facto de se situar no Conselho Económico Social e Ambiental, um órgão constitucional criado em 2014.

O roteiro para a construção da visão de Cabo Verde para 2030, que alinha com os ODS, vai ser apresentado nos próximos dias ao Conselho de Ministros para apreciação e aprovação final, segundo o ministro das Finanças, Olavo Correia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,19 fev 2020 6:15

Editado porSara Almeida  em  14 nov 2020 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.