Administração pública sem aumentos em 2020

PorAilson Martins, Rádio Morabeza,6 ago 2019 15:57

Conselho de Concertação Social
Conselho de Concertação Social(Rádio Morabeza)

No próximo ano não haverá aumentos salariais na função pública. Garantia deixada hoje, pelo vice-Primeiro-Ministro e Ministro das Finanças, em declarações aos jornalistas, no término do Conselho de Concertação Social, reunido na cidade da Praia.

Olavo Correia refere que o governo está a analisar o quadro orçamental, que vai exigir uma pausa do aumento da despesa com pessoal, durante o próximo ano. Para 2021, a questão será reanalisada.

"Aquilo que estou a dizer é que vai haver uma pausa durante o próximo ano, essa é a proposta do governo. Em 2021 voltaremos a analisar, porque estamos neste momento a tratar da reforma da administração publica, porque há muita gente na máquina publica que esta mal, que é mal remunerado, e que está desmotivado. Estamos com um pacote para mudar o quadro remuneratório, não faz sentido introduzirmos alterações pontuais, quando estamos com uma agenda para mudar o quadro de remuneração. Então, quando tivemos a proposta feita e aprovada, podemos decidir se faz sentido aumentarmos ou não, porque temos que ter cuidado com o aumento da massa salarial, porque isso depois cria um quadro de despesas rígidas em relação aos futuros orçamentos”, explica.

Em sentido inverso, nada convencida com as explicações do governo, a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde (UNTC-CS), Joaquina Almeida, garante que a central sindical vai exigir que o Orçamento de Estado para 2020 contemple a reposição do poder de compra dos trabalhadores.

"Num valor mínimo de 3%, tendo em conta as inflações, do ano passado e a previsão deste ano, não só para os trabalhadores, como para os pensionistas", exige. 

A sindicalista quer também "a promoção de todos os trabalhadores da função publica, que está em atraso, antes da entrada em vigor da reforma do governo".

O representante da Confederação Cabo-verdiana dos Sindicatos Livres (CCSL), Abraão Borges, alinha pelo mesmo diapasão.

"Consideram ser um aumento salarial, mas para nós, enquanto sindicalistas, não consideramos isso aumento salarial, mas sim como direitos adquiridos dos trabalhadores. Iremos, de certeza, propor um aumento salarial, tendo em conta a inflação", remata.

Durante o Conselho de Concertação Social foram debatidas as linhas gerais do próximo Orçamento de Estado. O tema regressará à agenda na reunião de Setembro.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Ailson Martins, Rádio Morabeza,6 ago 2019 15:57

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 out 2019 23:21

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.