​Homicídio mancha operação “Carnaval em segurança” em São Vicente

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,3 mar 2020 12:04

Madelino Luz
Madelino Luz(Rádio Morabeza)

O plano operacional “Carnaval 2020 em segurança”, em São Vicente, ficou marcado pelo homicídio do jovem Faby Santos, de 21 anos. O suspeito, de 17 anos, estará a ser ouvido está terça-feira no Tribunal de São Vicente, revelou hoje a Polícia Nacional.

A informação foi avançada esta manhã, em conferência de imprensa, pelo Comandante do Destacamento do Corpo de Intervenção e Unidade de Piquete, Madelino Luz. O responsável policial refere que o crime foi cometido na sequência de um desentendimento entre dois jovens, e descarta conflito entre grupos rivais.

“Não se trata de luta de gangs, nem algo parecido. Temos conhecimento da realidade da nossa ilha e neste momento não há gangs em São Vicente. É uma garantia da Polícia Nacional. Foi apenas um desentendimento entre os dois jovens e que acabou na agressão”, explica.

Faby Santos, que residia com a mãe em Ribeira Bote, foi esfaqueado por volta das 18 horas deste Domingo, durante o “enterro do Carnaval”. Foi transportado para o Hospital Baptista de Sousa (HBS) onde foi submetido a uma cirurgia de urgência, mas não resistiu aos ferimentos. Morreu por volta das 23 horas.

Questionado sobre a possibilidade de efectuar revistas durante os desfiles dos mandingas, Madelino Luz explica que a questão vai ser analisada internamente.

“É uma questão interessante e pertinente, mas se calhar vai ser pensada internamente e de certeza, nas próximas actividades, em função de cada caso, vamos analisar e adoptarmos as medidas que acharmos convenientes”, diz.

Relativamente ao plano operacional, de 19 de Janeiro a 2 de Março, as três esquadras policiais na ilha registaram um total de 348 denúncias. Quanto aos crimes contra pessoas foram feitas 127 denúncias, 61 por ofensas à integridade física, 36 ameaças e 23 por violência baseada no Género (VBG).

No que diz respeito aos crimes contra património, a Polícia Nacional recebeu 221 denúncias, das quais 124 furtos e 77 roubos. O serviço de emergência (132) registou um total de 1.835 chamadas “que foram prontamente atendidas e resolvidas”.

No mesmo período, a força policial dá conta da detenção de 242 indivíduos. Do total, 181 foram para efeitos de identificação e 61 foram presentes ao Ministério Público por vários crimes, nomeadamente posse de armas brancas, ofensa à integridade física, roubo à pessoa na via pública, posse de estupefacientes, brigas na via pública, desobediência a agente de autoridade, ameaças, furtos e condução de veículos sem habilitação legal.

No domínio do trânsito registaram-se 91 acidentes de viação que resultaram em 35 feridos ligeiros e dois com alguma gravidade, para além de danos materiais.

Da mesma forma, refere Madelino Luz, forma fiscalizados 1.205 veículos. Do total, 55 foram apreendidos por infracções diversas e aplicadas 90 coimas, no valor total de 915 mil escudos.

O Comandante do Destacamento do Corpo de Intervenção e Unidade de Piquete garante que as acções decorreram conforme planeado.

“Efectivamente, conseguimos, de forma geral, materializar aquilo que pretendíamos fazer, não obstante a ocorrência do caso [homicídio], que lamentamos. No dia do ocorrido estávamos no local, inclusive a primeira assistência dada à vítima foi da Polícia Nacional, que de seguida o conduziu ao hospital”, refere.

A operação teve início no dia 19 de Janeiro e contou com o envolvimento de cerca de 235 efectivos pertencentes a todas as unidades operacionais. O trabalho, no dia dos desfiles do Carnaval, foi feito em conjunto com a Polícia Militar.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,3 mar 2020 12:04

Editado porSara Almeida  em  28 mar 2020 22:19

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.