COVID-19 : Não há casos novos, mas mantém-se o apelo ao alerta permanente

PorAndre Amaral,9 abr 2020 1:19

Mais um dia sem casos suspeitos e sem casos confirmados da doença em Cabo Verde. Registo mantém-se nos sete casos. Hoje chega a Cabo Verde um vôo cargueiro com seis toneladas de material médico.

Em conferência de imprensa, ontem ao fim da tarde, Artur Correia anunciou que pelo segundo dia consecutivo não foram registados quaisquer casos suspeitos de infecção por coronavírus em Cabo Verde.

“O que tenho para vos dizer que é hoje não registamos casos positivos e as duas amostras que vieram da Boa Vista tiveram resultado negativo”, disse esta terça-feira o Director Nacional de Saúde, Artur Correia, em conferência de imprensa.

Artur Correia, no entanto, lembrou que o combate à pandemia de COVID-19 “é uma batalha longa” e que, por isso, os cabo-verdianos não devem “baixar a guarda”.

“É preciso um estado de alerta permanente” por parte das pessoas, avisou o Director Nacional de Saúde.

“Felizmente, estamos com pouco casos a registar diariamente, temos conseguido retardar a evolução da pandemia em Cabo Verde, mas não devemos ficar à sombra da bananeira”, avisou Artur Correia, completando que “o mundo já provou que esse jogo pode ter uma reviravolta repentina”.

Questionado sobre o ritmo lento com que a doença se tem manifestado em Cabo Verde, Artur Correia garantiu que os testes que são realizados para despiste do Covid-19 “são de primeira linha”, apontando “total transparência” nesta questão.

Desta forma, Cabo Verde mantém o registo de sete casos positivos da doença, quatro na Boa Vista, dois na Praia e um em São Vicente. Destes casos há a registar uma morte e um caso, na Praia, que as autoridades sanitárias nacionais estão a dar como praticamente curado.

De recordar que, em São Vicente, mais de duas dezenas de profissionais de saúde que de alguma forma tiveram contacto com o caso positivo confirmado do vírus da COVID-19 em São Vicente, estão em quarentena.

Entretanto, ao final da noite de ontem, o Gabinete de Assuntos Farmacêuticos do Ministério da Saúde e a Emprofac anunciaram a chegada a Cabo Verde de um voo cargueiro com seis toneladas de material médico.

O voo sanitário transportará, a partir de Lisboa, seis toneladas de medicamentos e EPIs – equipamentos de proteção individual para o abastecimento das estruturas hospitalares e também das farmácias privadas.

O avião da SATA tem chegada prevista ao aeroporto da Praia às 15h00 de hoje.

Compras na China

No âmbito de um financiamento feito pelo Banco Mundial, em breve deverão chegar a Cabo Verde cerca de 500.000 máscaras de protecção, 200.000 luvas, 30.000 batas impermeáveis, 20.000 viseiras de protecção, 20.000 testes rápidos, kits de transporte de testes, entre outros materiais.

A operação está a ser coordenada pelo Ministério das Finanças e pelo Ministério da Saúde e os materiais de saúde serão transportados directamente de Xangai para Cabo Verde num voo cargueiro que fará escala no Dubai.

Ouvido pelo Expresso das Ilhas, Bruno Santos, Director do Gabinete de Assuntos Farmacêuticos, explicou que o governo está “neste momento a fazer os trâmites normais com a empresa e os contratos, e pensamos ter, ainda esta semana, a resposta de quando é que virá. Mas ainda não há uma data certa”.

Tendo em conta o contexto internacional, em que todos os dias surgem notícias de encomendas de material médico que são destinadas a um país e acabam por ser desviadas para outro, Bruno Santos explicou que “a credibilidade da empresa a que estamos a fazer a encomenda” é garantia de que o material vai chegar a Cabo Verde.

“Tem havido muitos relatos de encomendas que foram feitas e que, afinal, quando chegaram não era o que se estava à espera”, reconheceu dizendo que para evitar que o mesmo se passe com a encomenda feita por Cabo Verde “tivemos de envolver a Embaixada da China em Cabo Verde, porque a Embaixada avisou-nos que qualquer empresa a quem quiséssemos fazer compras era conveniente que fosse através deles, para que a embaixada possa verificar a veracidade ou a credibilidade da empresa”.

O Director do Gabinete de Assuntos Farmacêuticos reiterou que Cabo Verde vai agora “fazer a compra, fretar um avião e torcer para que a coisa corra bem. Mas temos estado a envolver o Ministério dos Negócios Estrangeiros, a Embaixada de Cabo Verde na China e, também, a Embaixada da China em Cabo Verde”.

Segundo fonte governamental, o material vindo da China deverá chegar a Cabo Verde a 24 de Abril.

Nova doação de material

Depois de uma primeira entrega, de que Cabo Verde já recebeu a sua parte, a Fundação Jack Ma e a Fundação Alibaba afirmaram na segunda-feira que vão fazer uma segunda doação de material médico a 54 países africanos para os ajudar na luta contra a COVID-19.

Outros lotes de material médico, incluindo 500 ventiladores, 200.000 conjuntos de fatos de protecção e escudos faciais e 500.000 luvas, serão distribuídos ao continente com a ajuda do Primeiro-Ministro Abiy Ahmed da Etiópia, dos Centros Africanos de Controlo e Prevenção de Doenças e do Programa Alimentar Mundial, após a sua chegada à Etiópia.

Além disso, a Fundação Jack Ma e a Fundação Alibaba têm como objectivo ligar os profissionais médicos africanos aos médicos da China e de todo o mundo para colaborarem online e trocarem lições arduamente adquiridas sobre o tratamento e a prevenção da COVID-19.

Esta plataforma online está disponível no website: https://covid-19.alibabacloud.com/. Através de videoconferência e tradução de e para 11 línguas, a plataforma visa construir uma comunidade virtual de profissionais médicos globais. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 958 de 8 de Abril de 2020. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,9 abr 2020 1:19

Editado porSara Almeida  em  16 jan 2021 23:21

pub.
pub.
pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.