Testes rápidos: "Capacidade de detectar verdadeiros positivo e verdadeiros negativos não é grande", diz Artur Correia

PorAndre Amaral,16 jul 2020 7:42

2

Na conferência de imprensa desta quarta-feira, Artur Correia anunciou que Cabo Verde já realizou mais de 35 mil testes rápidos.

Esta quarta-feira durante a conferência de imprensa de acompanhamento da evolução da pandemia de COVID-19 em Cabo Verde, Artur Correia, Director Nacional de Saúde, quando questionado sobre a eficácia dos testes rápidos apontou que “a sua capacidade de detectar os verdadeiros positivos e também a sua capacidade de detectar os verdadeiros negativos não é grande. Não há dúvidas nenhumas que o PCR é o teste ideal e é esse que nós temos estado a utilizar. Utilizamos os testes rápidos para estudos, como o que estamos a fazer para ver a circulação eventual do vírus nas diferentes ilhas do país. Mas não são testes de diagnóstico”.

As declarações do Director Nacional de Saúde surgem na sequência de no passado dia 30 de Junho o CDC (Center for Disease Control) dos EUA ter vindo a público esclarecer o que significa dar positivo ou negativo nos testes rápidos.

Assim, explica o CDC, o resultado positivo do teste "mostra que pode ter anticorpos de uma infecção com o vírus que causa a COVID-19. Contudo, há uma hipótese de um resultado positivo significar que tem anticorpos de uma infecção com um vírus da mesma família de vírus (chamado coronavírus), tal como o que causa a constipação comum. Ter anticorpos para o vírus que causa a COVID-19 pode proporcionar protecção contra a infecção pelo vírus novamente. Se o fizer, não sabemos quanta protecção os anticorpos podem proporcionar ou quanto tempo esta protecção pode durar".

No entanto, apesar de ter testado positivo, a pessoa "deve continuar a proteger-se a si próprio e aos outros, uma vez que pode voltar a ser infectado com o vírus. Se trabalha num emprego onde usa equipamento de protecção pessoal (EPI), deve continuar a usar EPI".

Ainda segundo o CDC há também que registar a possibilidade de "testar positivo para anticorpos mesmo que nunca tenha tido sintomas de COVID-19. Isto pode acontecer se tiver tido uma infecção sem sintomas, o que se chama uma infecção assintomática".

Já se o "seu teste for negativo talvez nunca tenha tido o COVID-19" mas "poderá ainda ter uma infecção actual. O teste pode ser negativo porque normalmente demora 1-3 semanas após a infecção para que o seu corpo produza anticorpos. É possível que ainda possa ficar doente se tiver sido exposto ao vírus recentemente. Isto significa que ainda pode espalhar o vírus. Algumas pessoas podem levar ainda mais tempo a desenvolver anticorpos, e algumas pessoas que estão infectadas podem nunca desenvolver anticorpos".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,16 jul 2020 7:42

Editado porAndre Amaral  em  6 ago 2020 21:19

2

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.