Plano Nacional de Vacinação contra a COVID-19 prevê imunizar 60% da população até 2023

PorSheilla Ribeiro,18 fev 2021 15:43

2

O governo acaba de aprovar o Plano Nacional de Introdução e Vacinação contra a COVID-19, que prevê um custo de quase 2,5 milhões de dólares, segundo o Boletim Oficial (BO) publicado hoje. Pretende-se vacinar até 2023 um total de 60% da população.

Conforme o Plano publicado no BO de hoje, na primeira fase da vacinação serão priorizados os profissionais de saúde; pessoas com doenças crónicas; população com idade igual ou superior a 60 anos; profissionais hoteleiros e ligados ao turismo; profissionais dos aeroportos e portos internacionais; professores e pessoal de apoio nas escolas; Polícia Nacional; Forças Armadas e Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros.

Para o efeito será necessária a aquisição de 267.293 doses para toda a população alvo, acima mencionada, contemplando um total 111.372 pessoas. Seguindo o Plano, pretende-se vacinar até 2023 um total de 60% da população, sendo 20% em 2021, 20% em 2022 e 20% em 2023.

“O país vai adotar a estratégica de postos fixos, próximos à população-alvo, para reduzir o tempo de deslocação, minimizar custos e garantir a logística. A sensibilização para grupos-alvo em geral incluirá recenseamento, grupos de discussão, encontros comunitários e institucional, de modo a maximizar a adesão”, consta.

Conforme refere ainda o BO, o Ministério da Saúde e Segurança Social, através do COVAX Facility fará a aquisição de todas as vacinas contra a COVID-19 com reconhecidas eficácia e segurança, aprovadas segundo a autorização temporária de uso emergencial da OMS (EUL).

Os postos de vacinação serão constituídos pelos centros de saúde, postos sanitários, hospitais entre outros, os quais terão um kit de emergência. O plano está orçado em 2.454.504 dólares. A vacinação será gratuita para todas as faixas etárias.

Quanto à gestão da cadeia de abastecimento, o documento informa que no país, os pontos de entrada com capacidade para o desalfandegamento das vacinas tanto positivas como negativas vão estar localizados na Cidade da Praia, no Aeroporto Nelson Mandela, e no Mindelo, no Aeroporto Cesária Évora.

“Entretanto o PAV até então utiliza somente o aeroporto da Praia, que tem capacidade para receber e desalfandegar as vacinas acima referidas, em segurança.Os dois pontos de entrada possuem capacidade para armazenamento provisório, somente para vacinas +2 a +8C. Na Praia possui uma câmara fria com capacidade para 20m3”, lê-se.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,18 fev 2021 15:43

Editado porAntónio Monteiro  em  28 fev 2021 23:20

2

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.