​Professores manifestam-se nas ruas por melhores condições laborais. Governo pede bom-senso

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,1 fev 2022 9:34

Os professores filiados no Sindicato Nacional dos Professores (SINDEP) realizam hoje uma manifestação nas ilhas de Santiago, São Vicente e Santo Antão. A classe está “esgotada” com as promessas não cumpridas dos sucessivos governos.

Os professores reivindicam, nomeadamente, reclassificações de 2016 a 2021, publicação das aposentações e protestam contra o congelamento da carreira desde 2014 e o não reajuste salarial desde 2016.

De visita à região Fogo e Brava, o ministro da Educação, Amadeu Cruz, diz que é preciso tempo para resolver todas as pendências, mas garante que está a cumprir o cronograma estipulado com os sindicatos.

“Temos estado em diálogo com todos os sindicatos. Temos um calendário e temos acertado com todos os sindicatos a resolução das pendencias até 2023. Estamos a cumprir este cronograma. Entendemos que se não estivéssemos a cumprir, a reafirmar o compromisso, haveria razão para alguma manifestação. O Governo está a cumprir, o ministro e o Ministério estão empenhados na resolução dessas pendencias”, garante.

Amadeu Cruz diz que os memorandos assinados com os sindicatos que representam os professores estão a ser cumpridos, pelo que entende que é preciso ponderação e bom-senso e não deixar que outras agendas interfiram no diálogo entre o Ministério da Educação e os representantes da classe.

Nelson Cardoso, secretário executivo do SINDEP em São Vicente, reafirma que a manifestação é irreversível, porque há incumprimentos.

“O senhor ministro comprometeu-se a publicar as reclassificações de 2016 até Dezembro passado, juntamente com as aposentações. Portanto, não é de bom-senso pedir aos professores para terem bom-senso neste caso. Os professores que deveriam ir para casa entre Julho a Dezembro estão a trabalhar tempo a mais. As pessoas estão à espera desde 2016 por uma reclassificação. Como é que podemos pedir a um professor para ter mais calma, para esperar e para ter bom-senso? E sabendo que o Estado não comparticipa nas formações e os professores recorrem à banca. Temos professores que estão a perder mais de 20 mil escudos por mês”, aponta.

Em São Vicente, para além da manifestação de hoje, estava prevista uma greve que, entretanto, foi suspensa por não ter sido comunicada com a antecedência legal prevista à Direcção-Geral do Trabalho.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,1 fev 2022 9:34

Editado porAndre Amaral  em  23 out 2022 23:27

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.