​"Greve na Polícia Nacional belisca relações com Governo" - UCID

António Monteiro
António Monteiro

A greve que decorre na Polícia Nacional (PN) vai beliscar as relações entre a instituição e o Governo, disse hoje a UCID.

Uma das razões, segundo António Monteiro, tem que ver com aquilo a que chama de ameaça do Governo aos agentes abrangidos pela requisição civil. Em entrevista à Rádio Morabeza, o presidente da UCID lembra que existem regras, e as consequências do não cumprimento da requisição em caso de greve são óbvias, mas que “não deve ser em tom de ameaça”.

“De certeza absoluta que irá beliscar. Ainda ontem nós ouvimos e lemos, em tom de ameaça, que os polícias que foram alvo da requisição civil e que, por uma razão ou por outra, não compareceram nos serviços irão ter que responder perante o senhor ministro. Eu penso que isso não se deve dizer publicamente".

O líder da UCID entende que a greve na Polícia Nacional fere a imagem de Cabo Verde. Por isso, pede a intervenção do primeiro-ministro para que a segurança seja garantida nesta quadra festiva.

“O Governo ainda vai a tempo de sentar-se à mesa. O senhor primeiro-ministro que se envolva nesse assunto para que os policias suspendam a greve".

Os agentes da Polícia nacional cumprem hoje o segundo dos três dias de greve.

Os agentes reivindicam actualização salarial, redução da carga horária, introdução de regulamento de trabalho, pagamento de subsídio de condição policial ao pessoal policial da Guarda Fiscal, com efeitos retroactivos…

Para António Monteiro, o Governo deve sentar-se com o sindicato e esclarecer que o país não consegue, neste momento, resolver aquilo que foi acordado.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,28 dez 2017 15:32

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 set 2018 3:22

1

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.