Partidos reagem à greve na Polícia com «preocupação» e «surpresa»

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,28 dez 2017 11:26

Janira Hopffer Almada
Janira Hopffer Almada

A presidente do PAICV manifestou-se ontem “preocupada” com os três dias de greve iniciada quarta-feira, 27, pela Polícia Nacional e apela à responsabilidade do Governo no sentido de esgotar todas as vias do diálogo para proteger o país e os cidadãos.

Janira Hopffer Almada lamenta o facto de o Governo não ter cumprido com o acordo celebrado há nove meses e nem conseguido negociar para evitar a greve.

“Esta é a primeira vez na nossa história que a polícia faz greve, após em Março deste ano ter feito um pré-aviso que só não se efectivou, pelo facto de o Governo ter celebrado um acordo com a Polícia Nacional que não conseguiu cumprir passado nove meses”, diz.

Para o PAICV é “muito preocupante que face aos fenómenos que vêm acontecendo e a insegurança que vem reinando, que pessoas e bens sejam confrontados com essa situação”.

UCID apela intervenção do primeiro-ministro

A UCID, através do seu presidente, António Monteiro, apela à intervenção do primeiro-ministro para se encontrar uma solução para evitar o prolongamento da greve.

“Ainda ontem [26], tínhamos a esperança que o Governo pudesse sentar-se à mesa com o sindicato representativo dos polícias para que se encontrasse uma solução, mesmo que se protelasse um pouco mais a entrada em vigor do acordo”, diz.

“O sentimento de insegurança irá prejudicar nos negócios e na coabitação social”, precisou o líder dos democratas-cristãos, para quem “esta greve pode pôr em perigo a vida das pessoas e seus bens”.

MpD estranha paralisação e acusa PAICV de usar greve como arma de arremesso político

Já o MpD mostrou-se ontem “surpreso” com a greve na Polícia nacional, tendo em conta investimentos feitos na “melhoria das condições salariais” e em equipamentos, no ano e meio de governação.

O dirigente político fez estas declarações numa conferência de imprensa.

“No momento em que o país assiste a situação de seca extrema, em que o Governo tem de fazer face as esses desafios, nós estranhamos esta greve, tendo em conta os investimentos feitos na Polícia Nacional”, posicionou-se.

O secretário-geral do MpD recorda que no último ano e meio de governação do seu partido foram tomadas medidas importantes, nomeadamente no que diz respeito à aprovação do estatuto remuneratório da Polícia Nacional, resolução dos processo de promoções e progressões, assim como foram “reforçados os meios operacionais e de segurança”.

Quanto às declarações da líder do maior partido da oposição, Miguel Monteiro acusou Janira Hopffer Almada de utilizar a greve “como arma de arremesso político”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,28 dez 2017 11:26

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  25 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.