Presidente do Parlamento "satisfeito" com subida de Cabo Verde no Índice de Percepção da Corrupção

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,30 jan 2019 8:03

Jorge Santos
Jorge Santos

​O presidente da Assembleia Nacional mostra-se “satisfeito” com a subida de Cabo Verde no Índice de Percepção da Corrupção e sublinha que o país deve continuar a trabalhar para ser um exemplo de transparência e boa governança.

Jorge Santos reage, desta forma, à notícia sobre a subida de Cabo Verde para a posição 45 do Índice de Percepção da Corrupção, (IPC) de 2018, elaborado pela Transparência Internacional.

“Penso que Cabo Verde está bem posicionado no ranking e espero que continuemos a trabalhar para invertermos a tendência das oscilações com ganhos e sermos um país exemplar em termos de transparência e de boa governança”, considera.

O relatório revela que Cabo Verde obteve 57 pontos, mais dois que em 2017, o que lhe valeu uma subida de três lugares. O arquipélago é o terceiro país melhor classificado na África Subsaariana (a seguir à Seicheles e Botsuana).

A avaliação anual promovida pela organização Transparência Internacional (TI), com sede em Berlim, revela quedas significativas de Timor-Leste (14 posições), do Brasil (7 posições) e de Moçambique (5 posições) e subidas de Cabo Verde (3 posições) e Angola (2 lugares).

Portugal conquistou mais um ponto que na avaliação anterior, tem agora 64, mas caiu, mesmo assim, uma posição, passando da 29ª para a 30ª, enquanto que Guiné Equatorial e a Guiné-Bissau perderam um ponto cada uma, tendo agora uma classificação de 16 pontos, e caíram da posição 171ª para a 172ª ex-aequo.

A tabela continua a ser liderada pela Dinamarca (88 pontos) e Nova Zelândia (87 pontos) com os últimos lugares a serem ocupados pela Sudão do Sul e Síria (13 pontos) e Somália (10 pontos).

A análise da Transparência Internacional conclui que existe “uma relação directa entre a corrupção e a saúde democrática global”, adiantando que as democracias consideradas “plenas” obtêm uma pontuação média de 75 pontos, enquanto as classificadas como “frágeis” têm em média 49 pontos, os chamados regimes “híbridos” 35 pontos e os regimes autocráticos 30 pontos.

O Índice de Percepção da Corrupção, da Transparência Internacional, foi criado em 1995 e é um dos principais indicadores à escala mundial da corrupção no sector público, baseando-se em 13 bases de dados de 12 instituições independentes.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,30 jan 2019 8:03

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  21 out 2019 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.