PAICV critica atraso na divulgação das Contas Nacionais Trimestrais

PorAndre Amaral,15 jul 2019 13:43

Julião Varela
Julião Varela(Expresso das Ilhas)

Julião Varela, deputado do PAICV, disse hoje que as contas divulgadas pelo INE mostram que o objectivo proposto pelo governo de um crescimento médio de 7% "é cada vez mais improvável" e que "está claro que esses números não tinham qualquer fundamento técnico".

O maior partido da oposição criticou hoje a demora na divulgação das Contas Nacionais Trimestrais pelo Instituto Nacional de Estatística.

"Em relação ao INE a situação se repete e a desculpa foi que há empresas que se atrasaram ou não entregaram os dados. É importante que esta situação seja resolvida para evitar que fique margem para desconfiança", apontou Julião Varela, hoje, em conferência de imprensa na Assembleia Nacional.

Mas agora que os números são conhecidos, para o PAICV é "cada vez mais improvável o cumprimento da meta fixada do crescimento em média de 7% ao ano e está claro que esses números não tinham qualquer suporte técnico".

A sustentar esta opinião está o facto de o INE ter feito uma revisão das contas e "afinal, em 2017, o crescimento não foi de 4%, mas sim de 3,7%, o que representa uma redução de 1 ponto percentual em relação ao ano de 2016 que se confirma de 4,7%", apontou Julião Varela que disse ainda que naquele ano o "Orçamento do Estado só foi aprovado em Outubro, portanto não conta com o impacto  de qualquer medida adoptada pelo governo que saiu das eleições de Março de 2016".

PIB cresceu 5,2% no primeiro trimestre

PIB cresceu 5,2% no primeiro trimestre deste ano anunciou, hoje, o Instituto Nacional de Estatística (INE) que aponta para um abrandamento relativamente ao último trimestre do ano passado. "No 1º trimestre de 2019, o PIB registou uma variação homóloga de 5,2%, em termos reais, taxa inferior em 3,0 pontos percentuais (p.p.)

O deputado do PAICV mostrou-se igualmente preocupado no que respeita aos dados revelados pelo INE no que respeita à execução do Orçamento do Estado para 2019 que, diz, "indicam uma desaceleração da economia e que o crescimento económico está a ser impulsionado pelos gastos do Estado que aumentaram em mais de 20,8% no primeiro trimestre deste ano e pelos impostos".

Estes são, para o PAICV, "elementos insustentáveis para o crescimento e que deitam por terra todo o discurso de crescimento robusto da economia", disse ainda Julião Varela.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,15 jul 2019 13:43

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  25 ago 2019 8:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.