​PAIGC lamenta passividade de Cabo Verde sobre situação na Guiné-Bissau

PorExpresso das Ilhas, Lusa, Inforpress,16 jul 2019 15:23

1

O presidente da comissão política do PAIGC em Cabo Verde lamentou hoje a actuação "muito passiva" do país. O responsável entende Cabo Verde deveria ter uma "posição clara" sobre a crise política que a Guiné-Bissau viveu nos últimos anos. A comissão política local quer Domingos Simões Pereira na presidência do país.

"Para mim, Cabo Verde foi muito passivo em termos de intervenção, para apoiar claramente uma das posições, uma do lado do Presidente da República e outra do colectivo que alinha com o PAIGC. É opinião pessoal, mas senti que Cabo Verde devia ter uma posição clara sobre a situação da Guiné-Bissau nos últimos cinco anos", disse Pedro Barbosa Mendonça, citado pela Lusa. 

De acordo com a agência de notícias, o presidente da comissão política do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) em Cabo Verde falava em conferência de imprensa, na cidade da Praia, para manifestar apoio e incentivar a candidatura do líder do partido, Domingos Simões Pereira, às eleições presidenciais na Guiné-Bissau, marcadas para Novembro próximo.

Depois da rejeição de Domingos Simões Pereira, para o cargo de Primeiro-Ministro, o partido vencedor das eleições acabou por indicar Aristides Gomes, chefe do Governo cessante.

O novo Governo foi nomeado a 03 de Julho, quase quatro meses depois das legislativas.

Presidenciais

Na conferência de imprensa, na Praia, o responsável local do PAIGC em Cabo Verde, disse também já foram recolhidas mais de 1.500 assinaturas junto da comunidade guineense residente no país, a solicitar no sentido de o líder do partido se apresentar às próximas presidenciais.

O apelo a Domingos Simões Pereira, justificou Pedro Mendonça, “alicerça-se no reconhecimento do projecto político” deste dirigente conhecido por “Terra Ranca Mais” e cuja “implementação ficou à testa do primeiro-ministro imposto pelo ex-Presidente da República José Mário Vaz contra a vontade do povo”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa, Inforpress,16 jul 2019 15:23

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  10 abr 2020 23:21

1

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.