Presidente da República alerta para “o canto da sereia do nacional-populismo”

PorExpresso das Ilhas,4 jan 2020 8:47

Na sua mensagem de Ano Novo Jorge Carlos Fonseca lembrou que 2019 foi um ano de dificuldades devido ao terceiro ano consecutivo de seca. Para fazer face a esta situação o Presidente da República insistiu que “o desafio dos desafios” que o país tem pela frente continua a ser a criação de uma realidade que nos faça cada vez menos dependentes das chuvas. Para o PR, apesar das limitações a nível do desemprego e das desigualdades sociais e regionais, Cabo Verde continua a ser um país estável e a registar crescimento económico.

Na sua mensagem de Ano Novo Jorge Carlos Fonseca começou por saudar os cabo-verdianos e os cidadãos de outras origens que, entre nós, ou em outras paragens, contribuem para que Cabo Verde seja cada vez mais uma terra de Liberdade, de Paz e de Fraternidade.

“Festejamos agora mas, também, nos preparamos para contribuir para que o ano que ora começa e que sempre é prenhe de elevadas expectativas seja o melhor possível”, sublinhou.

Neste sentido, o Chefe de Estado exortou os cabo-verdianos a lançarem um olhar sobre o que foi a sua vida pessoal nos últimos doze meses e como evoluiu a nossa família e o nosso país nesse período. “Especialmente em relação ao país, esse olhar é fundamental, pois, em grande medida, ele condiciona as dimensões pessoal e familiar das nossas vidas”, frisou.

Terceiro ano de seca

Jorge Carlos Fonseca recordou que 2019 foi um ano de dificuldades devido ao terceiro ano consecutivo de seca, o que tem condicionado a vida de milhares de agricultores e de criadores de gado e levantado desafios permanentes e complexos. Entretanto, acentuou que os problemas têm sido enfrentados, com a proverbial pertinácia, pelos homens do campo e com apoio do Governo.

Para fazer face a esta situação o Presidente da República insistiu que “o desafio dos desafios” que o país tem pela frente continua a ser a criação de uma realidade que nos faça cada vez menos dependentes das precipitaçõeses pluviométricas, cada vez mais aleatórias no contexto das alterações climáticas que ameaçam sobretudo os Estados insulares.

Na sua mensagem Jorge Carlos Fonseca referiu-se à situação de insegurança que se vive especialmente na Cidade da Praia. Exortou o governo a prosseguir os esforços no sentido de debelar as causas subjacentes ao fenómeno, especialmente, na perspectiva preventiva e apelou aos cidadãos a tudo fazerem para que a cultura da violência e da intolerância seja efectivamente combatida.

Lei do Álcool

“Neste particular entendo ser da maior importância a entrada em vigor da nova lei do álcool, aprovada por unanimidade pelo Parlamento, e a participação das pessoas e das famílias – para além das autoridades – na sua efectiva aplicação em benefício da saúde e bem-estar de todos, especialmente das nossas crianças e jovens”, realçou.

Reavaliar meios e metodologias

Jorge Carlos Fonseca fez saber que para alcançar níveis razoáveis de segurança em todo o território nacional – fundamental para que continuemos, em crescendo, a ser um país de Liberdade e uma democracia cada vez mais sólida – o governo deve reavaliar meios, recursos, metodologias, sempre com sentido de objectividade e racionalidade.

“Num ano, o de 2020, em que entramos no quadragésimo quinto aniversário da independência nacional e iniciamos um novo ciclo eleitoral, com as autárquicas, os desafios da qualificação e extensão da democracia e da cultura constitucional, do aprimoramento e fortalecimento dos pilares do nosso estado de direito mostram-se decisivos num contexto, internacional e igualmente com alguns sinais entre nós, em que o canto da sereia do nacional-populismo, que nem sempre surge com uma linguagem agressiva ou abertamente antidemocrática, pode mostrar-se atraente, cómodo, mas, a final, ardiloso e portador de soluções que rejeitámos há quase três décadas”, alertou.

Na sua mensagem, o Chefe de Estado ressaltou que, apesar das limitações a nível do desemprego e das desigualdades sociais e regionais, Cabo Verde continua a ser um país estável, com coesão social, com as instituições a funcionar normalmente e a registar crescimento económico. “Mas temos de crescer mais e de forma mais equilibrada, gerando postos de trabalho para reduzir sobretudo o desemprego jovem, tarefa para a qual se mostram também relevantes o aprimoramento e estabilização no sistema de transportes marítimos, particularmente entre as ilhas”.

Elevação da Morna a património mundial

O Presidente da República terminou a sua mensagem com uma referência especial ao “impacto extremamente positivo” da elevação da Morna a património cultural imaterial da humanidade.

“Cabo Verde e cada cabo-verdiano estão de parabéns. O Governo e todos os que, com denodo e competência, se entregaram a esta nobre tarefa merecem o nosso reconhecimento. Que o ano de 2020 decorra sob a bênção e o abraço poéticos de Força de Cretcheu, tendo sempre a Lua Como Testemunha e o infinito Mar Azul como limite dos nossos sonhos”.  

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 944 de 01 de Janeiro de 2020. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,4 jan 2020 8:47

Editado pormaria Fortes  em  22 set 2020 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.