​Governo promete transformar São Vicente numa referência em várias áreas

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,22 jan 2021 20:40

1

O Governo quer transformar São Vicente num palco de inovação tecnológica e artística, numa referência no sector da saúde e educação especializada, num espaço de produção e utilização de energias renováveis. Compromisso assumido hoje, pelo ministro da Administração Interna, no dia em que se comemoram os 559 anos do município.

Durante o seu discurso na sessão solene comemorativa do dia de São Vicente, Paulo Rocha afirmou que o executivo ambiciona a ilha como um exemplo no que toca à criação de sinergias entre o turismo, o mar e a cultura, um modelo de economia e uma “plataforma inquestionável” no sistema de transporte marítimo internacional e logística portuária nas rotas transatlânticas.

O governante diz que iniciativas já foram tomadas para atingir o desiderato.

“Com esta visão, o Governo tem aprovado estruturantes projectos para o desenvolvimento de São Vicente nas diferentes áreas. Refiro-me, por exemplo, ao master plan do turismo para São Vicente, aprovado, estimulando o desenvolvimento acentuado da imobiliária turística, surgindo várias iniciativas a nível da hotelaria. Aprovou o Projecto da Zona Económica Marítima em São Vicente, aprovou o Terminal de Cruzeiros e o projecto de requalificação do areal urbano da marginal, cujas obras iniciarão ainda neste trimestre”, aponta.

Paulo Rocha referiu igualmente o Campus do Mar, também aprovado, já em funcionamento, a asfaltagem da estrada da Baía das Gatas, já concluída e a requalificação da orla marítima da Baía das Gatas que, segundo diz, será inaugurada “dentro de dias”.

A tutela da pasta da Administração Interna refere-se às obras de construção do Parque Tecnológico de Ribeira de Julião, que estão em curso, ao Projecto Cidade Segura já implementado, à construção da unidade policial em Monte Sossego, que deverá arrancar ainda este mês, e ao Centro de Diálise já inaugurado.

“Em breve também será uma realidade o Centro de Terapia Ocupacional de Ribeira de Vinha, as obras da nova Central de Consultas ambulatórias que ficam concluídas este ano, o complexo habitacional de Portelinha que ficarão concluídas neste semestre, a requalificação do Estádio Adérito Cena, a adequação do Aeroporto de São Vicente para operações noturnas”, refere.

No plano da modernização administrativa e no domínio da justiça, Paulo Rocha destaca a instalação do Tribunal da Relação de Barlavento e a abertura do segundo Cartório Notarial na ilha do Monte Cara.

“As realizações citadas traduzem os desafios que estamos a vencer neste intervalo de tempo, desde 2016, e traduzem, sobretudo, a linha de desenvolvimento que o Governo projecta para São Vicente em tempos vindouros”, diz.

“Pelo que aqui fica o reforço dos nossos compromissos e do nosso comprometimento quanto ao futuro desta ilha e das suas gentes”, salienta.

O Governo diz-se empenhado e a trabalhar para os objectivos e metas de crescimento económico, para o emprego e para o aumento do rendimento das famílias.

Augusto Neves quer redefinição de linhas de acção

O presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, aponta o reforço da articulação com o Governo central como um dos pilares fundamentais para minimizar os efeitos da crise provocada pela COVID-19 nas famílias mais vulneráveis, e redefinir as linhas de acção para o relançamento da economia nos próximos tempos. Neves já definiu prioridades para os próximos quatro anos.

“Na esfera social, no presente mandato, a atenção especial será atribuída à problemática da habitação, com a construção de mais habitações para famílias vulneráveis e para os jovens, pois representa um factor fundamental de inclusão social e produtiva. No domínio económico, as ações visam sobretudo dar continuidade às intervenções de transformação de São Vicente numa ilha mais atractiva, dinâmica e competitiva para a materialização de investimentos”, elucida.

O edil mindelense refere que com a pandemia tornou-se fundamental o reequacionamento da agenda municipal no que concerne à definição de prioridades.

Dora Pires pede uma Câmara “diferente”

Na sua primeira intervenção enquanto presidente da Assembleia Municipal, Dora Pires, eleita nas listas da UCID, defendeu “uma Câmara Municipal diferente” para uma ilha que “pede mais”.

“Nós queremos uma Câmara Municipal diferente. Uma Câmara inovadora, competitiva e com uma modernização administrativa. Que valoriza os produtos endógenos, o seu património material e imaterial com a criação de novos roteiros turísticos e pontos de visitação no concelho, a fim de atrair não só o turismo estrangeiro, mas o turismo nacional. Nós também queremos apostar no bem-estar do cidadão e da habitação condigna para todos, e que o concelho seja solidário e mais igual para todos”, realça.

Dora Pires pede uma política financeira e administrativa com rigor, eficiência, eficácia e transparência, como forma de assegurar a independência na gestão do município.   

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,22 jan 2021 20:40

Editado porAndre Amaral  em  28 fev 2021 12:19

1

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.