Campanha arranca por todo o país

PorExpresso das Ilhas,1 abr 2021 17:45

Começou hoje a campanha eleitoral para as Legislativas do próximo dia 18 de Abril. Quase 600 candidatos saem ao terreno para convencer os eleitores de que a proposta do seu partido é a que melhor serve Cabo Verde. O arranque aconteceu sob alertas para a necessidade de acatar as medidas de contenção da pandemia, em momento de aumento exponencial de casos de COVID-19.

Os números recentes da COVID-19 (ontem houve um recorde diário de novos casos) estão a preocupar as autoridades e não está descartada a possibilidade de declaração do estado de Calamidade, diz o Presidente de República.

E foi em meio do aumento de casos, que arrancou este 1 de Abril a campanha para as legislativas, que a crer na forma como a pré-campanha decorreu (aglomerações, máscara mal colocadas, etc) pode ser um momento de maior propagação.

Assim, Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) apelou hoje a que todas as medidas de prevenção sejam cumpridas, recomendando, entre outras coisas (esta parece ser especialmente para os candidatos) a “dar o bom exemplo no cumprimento das medidas”. (pode ver as medidas aqui).

A Polícia Nacional também promete estar atenta, no âmbito do seu plano de segurança para o período eleitoral. Hoje, o comando regional de Santiago Sul e Maio, já anunciou que no terreno estarão 407 agentes, trabalhando essencialmente em dois pilares: Ordem Pública e Trânsito.

O Gabinete de Crise reuniu hoje à tarde, mas até ao fecho deste Diário de campanha, ainda não havia sido comunicada qualquer decisão eventualmente tomada/recomendada.

Passando agora para a campanha propriamente dita:

MpD

MpD já havia comunicado que iria ser comedido nas suas actividades eleitorais durante hoje (quinta-feira Santa) e amanhã (sexta-feira da Paixão) para não interferir com as actividades religiosas da Páscoa.

O Líder do partido e candidato à sua sucessão no cargo de primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, escolheu Santo Antão para iniciar a campanha. UCS já se encontrava aí, no âmbito de outras actividades, pelo que, aliada à importância atribuída à ilha das Montanhas, a escolha foi óbvia. 

Em Santo Antão, o presidente do MpD justificou o lema que batuta a sua campanha 

“‘Cabo Verde no caminho seguro’ porque atravessamos cinco anos com períodos muito difíceis, de emergência, três anos de seca muito grave, as piores secas dos últimos 37 anos, mais um ano de pandemia e fizemos Cabo Verde chegar a porto seguro”, disse Ulisses Correia e Silva, em declarações à Inforpress.

Um pouco por todo o país, os candidatos do MpD começaram também as actividades com limitações, fazendo porta-a-porta em algumas ilhas (São Vicente e Boa Vista, por exemplo, tiveram porta-a-porta), optando apenas por colar cartazes em outras (como a Brava) e cancelando todas as acções (Fogo)

A promessa de uma campanha serena e que respeite todas as medidas de prevenção da propagação da COVID-19 foram repetidas por vários cabeças de lista, e sublinhadas pelo líder do partido.


PAICV

Santiago Norte foi o círculo escolhido por Janira Hopffer Almadapara marcar o arranque da campanha eleitoral. Em Tarrafal, onde apresentou a plataforma da candidatura “Um Cabo Verde para Todos”, relata a Inforpress que a presidente do PAICV foi recebida de forma eufórica por uma multidão.

Aí, depois de inaugurar a sede da campanha na região norte da ilha de Santiago, Janira Hopffer Almada esteve em acção de contacto directo no centro da cidade. A líder do PAICV destacou o facto da população do Tarrafal ter decidido “28 anos depois, primeira vez, dar a vitória ao PAICV”, numa alusão às eleições autárquicas de Outubro, alegando que o concelho mostrou, claramente, que “o trabalho é sempre valorizado e que o empenho será compensado”, escreve a Inforpress.

Entretanto, por todo o país, os cabeças de lista do PAICV iniciaram também as suas actividade de campanha.  No Fogo, de forma "comedida" por causa da Páscoa (apenas com fixação de cartazes e contactos porta-a-porta em algumas localidades). No Maio, por exemplo, com passeatas pela cidade de Porto Inglês. Também os tambarinas prometem campanha cívica e cuidados para evitar problemas de saúde pública (Santiago Sul).

UCID

líder da UCID iniciou a campanha no círculo onde é cabeça de lista: São Vicente.

Em Monte Sossego, o bairro mais populoso da ilha, António Monteiro apresentou aos eleitores um pedido bem concreto: o seu voto na UCID para conseguir eleger cinco deputados.

“Com cinco deputados e com o reforço que a UCID pensa agregar dos outros círculos eleitorais conseguirá equilibrar o parlamento”, disse, citado pela Inforpress.

Um argumento no qual também a candidata Zilda Oliveira, segunda da lista, utilizou nos contactos em Monte Sossego. A promessa de cumprimento e responsabilidade perante a situação epidemiológica também foi referida pela UCID, em particular pela candidatura do Fogo, ilha que após as Autárquicas de Outubro viu subir o número de infectados.

PTS

Também o PTS quer uma bancada no parlamento (embora parta do zero). A ambição foi referida pelo cabeça de lista para o círculo eleitoral de Santiago Sul, Carlos Lopes. "No período de pré-campanha, o PTS esteve em vários bairros da capital para auscultar a população e nesse primeiro dia de campanha não foi diferente. Os candidatos a deputados percorreram as comunidades de Calabaceira e de Safende", conta a Inforpress.

PP

Também na Praia, mas em Achada de São Filipe, Amândio Barbosa Vicente, iniciou a campanha eleitoral, em contactos para auscultar a população.

O candidato do Partido Popular (PP) às eleições legislativas do dia 18 avançou, aí, à Imprensa que irá apostar numa campanha “simples, sem exagero e dentro das possibilidades do partido” para partilhar com os eleitores a proposta eleitoral do PP. 

O PP tem como objectivo nestas eleições, de acordo com a quinta na lista, Melícia Cardoso, a eleição de pelo menos um deputado para ser "voz no parlamento para defender o interesse do povo e fazer com que se sinta parte integrante da nação crioula”.

PSD

O candidato do Partido Social Democrata (PSD), João Além, por seu turno, e também citado pela agência de notícias, afirma estar na corrida às legislativas para contribuir para o “bom desempenho” do país, cumprindo assim o objectivo do partido que é “mudar Cabo Verde e dignificar o homem”.

O candidato a primeiro-ministro e cabeça-de-lista do PSD para Santiago Sul nas legislativas de 18 de Abril afirmou que quer mudar o país, trabalhando o sector da educação, o trabalho e a economia, com base “na verdade”, uma característica que diz marcar o preceito que segue enquanto racionalista cristão e espiritualista.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,1 abr 2021 17:45

Editado porSara Almeida  em  1 abr 2021 20:06

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.