​Candidatos intensificam ações de campanha a uma semana das eleições

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,10 out 2021 12:50

Juventude, emigração, combate à corrupção, alterações constitucionais e apelo ao voto foram os temas principais da campanha no dia de ontem.

Na ilha de São Vicente, o autointitulado “candidato do povo” Joaquim Jaime Monteiro, esteve este sábado em contacto com a população do Calhau, situada a 15 quilómetros da cidade do Mindelo, onde afirmou que os “parasitas que estão a encher o bolso com o dinheiro do Estado não vão mudar Cabo Verde”.

“Na jurisprudência, qualquer pessoa que rouba o direito do cidadão vai para a cadeia, a mesma coisa para um servidor do Estado, por estar a cometer um crime chamado de peculato. Essas pessoas que estão a gerir Cabo Verde fazem a política de encher os bolsos”, acusou Joaquim Monteiro, apelando o voto na sua candidatura, que tem como propósito “programar, planificar e unir” o arquipélago.

Por isso, garantiu que está preparado para ganhar as eleições no dia 17 de Outubro, para “colocar Cabo Verde no rumo do desenvolvimento e para um futuro melhor para as crianças cabo-verdianas”.

Por seu lado, o candidato Gilson Alves, que continua a sua campanha na capital do país, prometeu abolir o artigo da Constituição da República (CR) que impede cabo-verdianos emigrantes com dupla nacionalidade de se candidatarem a Presidente da República.

Para Gilson Alves, Cabo Verde foi construído pelos emigrantes, desde a independência, com investimentos feitos no País, remessas de dinheiro feitas aos familiares e amigos, desde que os colonos portugueses “deixaram o País sem nada”.

“Portanto, este é um País feito de emigrantes e que depende bastante deles e é inaceitável que a nossa Constituição, desde 1990. coloque um artigo que impede um emigrante de se candidatar a Presidente da República, é uma facada nas costas”, frisou, fazendo a comparação com os palestinianos no Israel.

Também na cidade da Praia, o candidato José Maria Neves disse que se for eleito Presidente da República, será o Presidente da juventude cabo-verdiana e prometeu que trabalhará para colocar os assuntos que dizem respeito à juventude na agenda política.

Neves, que participou na tarde de ontem num encontro/debate com os jovens com participação presencial e transmissão nas plataformas digitais, disse que enquanto primeiro-ministro fez muito para realizar os sonhos da juventude cabo-verdiana, aposta na construção de escolas, na electrificação das zonas para os jovens pudessem ter de estudar em melhores condições. Entretanto, fez questão de esclarecer que o Presidente da República não governa, mas explicou que o mesmo pode fazer com que questões que dizem respeito à juventude entrem na agenda política e zelar para que as autoridades trabalhem para cumprir essa agenda política.

“Já temos liceus, já temos universidades e precisamos agora melhorar a qualidade. Então eu vou trabalhar para mobilizar as parcerias nacionais e internacionais, discutir com o Governo, com os partidos, com as universidades as melhores formas de investir para melhorar a qualidade do ensino a todos níveis em Cabo Verde”, disse.

Na sua corrida à Presidência da República, Carlos Veiga “Kalu”, apresentou-se ao público da capital confiante na vitória, “assim como se sentia” nas primeiras eleições pluralistas realizadas em Cabo Verde em 1991. O candidato, que elogia a forma como tem vindo a ser apoiado “pelos dois partidos democratas de Cabo Verde, MpD e UCID”, mostrou-se seguro que desta vez vai ganhar as eleições presidenciais “sem margens para dúvidas”, crente que, no domingo, a sua candidatura vai celebrar “uma grande vitória”.

Tendo em conta a forma como as crianças na companhia dos pais se mostrem “entusiasmadas com a presença” de Kalu, ao longo desta caminhada, Veiga voltou a fazer uso da parábola bíblica “Deixai vir a mim as crianças, porque delas é o reino de Deus”, uma passagem bíblica no qual o evangelista Marcos enaltece o relacionamento de Jesus Cristo com as crianças, para justificar a sua convicção.

No comício da Várzea, Carlos Veiga esteve acompanhado pelo vice-presidente do Movimento para a Democracia (MpD) Fernando Elísio Freire, para quem “Votar Carlos Veiga é votar Cabo Verde”, afirmando que o proponente da candidatura “Unir para Avançar”, é dos sete candidatos, o único com qualidades para unir o País neste momento tão importante.

Também na capital, o candidato às eleições presidenciais de 17 de Outubro Hélio Sanches prometeu ser um “Presidente estável, activo e respeitador da Constituição da República”, e que irá utilizar todos os poderes institucionais para trabalhar com o Governo.

De regresso à ilha de Santiago, depois de cumprir dois dias de campanha na ilha do Sal, Hélio Sanches tirou o dia de hoje para refletir e acertar alguns pontos da sua participação no debate desta noite, onde terá como adversários Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

“Como Presidente da República, a partir do dia 17 de Outubro, vou trabalhar e exigir do Governo que cumpra com aquilo que prometeu, porque o povo votou no executivo de Ulisses Correia e Silva para resolver os problemas”, sublinhou, assegurando que será um Chefe de Estado activo, que irá garantir a estabilidade, utilizando todos os “poderes institucionais para pôr o Governo trabalhar”.

Por seu turno, o candidato à Presidência da República, Casimiro de Pina, recebeu ontem o apoio de um grupo de jovens que afirmaram estar com a sua candidatura por considerarem ser ele o único intelectualmente preparado para assumir o cargo.

“Comparando-o aos outros candidatos percebemos que ele é quem está melhor preparado e possui melhores requisitos para desempenhar o cargo que exige muita responsabilidade, particularmente, nas questões que se referem à Constituição da República e aos direitos democráticos”, disseram os jovens que se encontraram com o candidato.

Após auscultar o manifesto de apoio dos jovens, o aspirante ao cargo de mais alto magistrado da Nação agradeceu e prometeu, caso vença as eleições no dia 17 de Outubro, ter em conta os anseios da juventude no sentido de trabalhar para respeitar a função de um Presidente da República.

O candidato Fernando Delgado já se encontra em Santiago, onde deve permanecer quatro dias, mas, na despedida da Boa Vista, sábado, endereçou, da Povoação Velha, uma mensagem de confiança ao seleccionador nacional.

Com efeito, a localidade de Povoação Velha foi a escolha do candidato para a derradeira acção de campanha eleitoral na Boa Vista, e fê-lo, como disse, por se tratar da zona onde nasceu o seleccionador nacional de futebol, Pedro Brito, conhecido no meio futebolístico como Bubista. Aliás, Fernando Delgado, à porta da casa da família Brito, na Povoação Velha, deparou-se com o irmão de Bubista António Brito, marítimo tal como o candidato, mas já na reforma.

O futebol e temas relacionados com a vida marítima dominaram a conversa.

“Este homem é um lutador desde o início da sua carreira, e oxalá tenha uma oportunidade”, declarou António Brito, referindo-se ao colega das lides do mar e hoje candidato a Presidente da República.

Nas presidenciais de 17 de Outubro, concorrem outros seis candidatos – Fernando Delgado, Gilson Alves, José Maria Neves, Carlos Veiga, Casimiro de Pina e Joaquim Monteiro.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,10 out 2021 12:50

Editado porAndre Amaral  em  19 out 2021 19:19

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.