Vhils deixa marca na Praia e São Vicente

PorDulcina Mendes,30 out 2019 7:23

1

Novo mural, novo artista e técnica diferente daquilo a que estamos acostumados. O artista que conquistou o mundo com a sua arte, veio a Cabo Verde deixar a sua marca.

O bairro de Achada Grande Frente ganhou uma nova obra de arte. Desta vez, é do célebre artista português Alexandre Farto, mais conhecido por Vhils.

Vhils fez o mural que retrata Amílcar Cabral. A obra, realizada no mural da escola secundária de Achada Grande Frente, chama a atenção não só por ser da figura de Amílcar Cabral, mas pela dimensão e técnica usada pelo autor.

Dias e noites de muito trabalho, para que aquele bairro ganhasse mais brilho. A comunidade agradece e os visitantes apreciam. Na sua primeira viagem a Cabo Verde, Vhils quis deixar-nos essa marca.

No meio de batucadeiras e grupo de tabanca, o artista mostrou-se feliz por concluir mais uma obra. Depois de ter terminado a obra, Vhils acredita que a comunidade vai ganhar mais visitantes e mais dinâmica.

“A obra de Amílcar Cabral e todo trabalho que ele fez, é algo muito importante e sempre admiro muito o seu lado lutador pela liberdade, seu lado poeta e pensador”, afirmou.

“Chegámos à conclusão que fazia sentido retratar essa figura. Amílcar Cabral é uma referência para mim há muitos anos, fez todo sentido para mim fazer esta obra", acrescentou.

O desejo do artista é voltar mais vezes. “Espero voltar mais vezes e que este tipo de arte consiga também trazer um novo olhar para Achada Grande Frente”.

Vhils também trabalhou com as crianças deste bairro, fotografou o quotidiano de algumas famílias, para levar de recordação e posteriormente realizar uma exposição fotográfica. “Há muitos rapazes e raparigas talentosas, e foi muito interessante fazer este workshop com essas crianças”.

O artista português, que cresceu no Seixal, começou a interagir com o espaço urbano através da prática do graffiti, mas sentiu a necessidade de escolheu esta técnica para realizar as suas obras, porque queria fazer algo diferente.

No início houve algum preconceito, até da sua família, mas com o passar dos tempos as coisas começaram a cair no agrado das pessoas e hoje as suas obras são referência mundial.

A sua vinda a Cabo Verde aconteceu graças ao convite que recebeu do Xalabas - di Kumunidadi, um projecto de intervenção comunitária que visa activar processos de desenvolvimento local no bairro de Achada Grande Frente, através da criação de circuitos turísticos alternativos, utilizando também a arte urbana como ferramenta de promoção local.

Pelo bairro de Achada Grande Frente já passaram artistas como Nemo’s (Itália), Paula Plim (Brasil), Finok (Brasil-Espanha), Ananda Nahú (Brasil), Falko One (África do Sul), Bankslave (Quénia), Dreph (Reino Unido).

O projecto desenvolvido pela ONG Africa 70 em parceria com a Associação Pilorinhu e cofinanciado pela União Europeia, tem vindo a implementar desde 2017 um programa de arte urbana, baseado em residências artísticas, onde são convidados artistas de renome internacional para deixarem uma obra no espaço público resultante da interação com os moradores e artistas locais.

Segundo Mariangela Fornuto, da ONG Africa 70, este programa tem a duração de três anos, e durante dois anos já se realizaram oito workshops de arte urbana, com residências artísticas onde participam artistas nacionais e estrangeiros.

Este projecto não se fica só pelas obras de artes, mas inclui também intervenções mais profundas na comunidade, como calcetamento de ruas, rede de esgoto, saneamento e outras obras, necessárias para o desenvolvimento do bairro.

“Esta obra de Vhils fecha o ciclo de workshops. Em 2021 vamos ter um Festival Internacional de Arte Urbana que terá mais produção e mais artistas. Vhils é um artista significativo, no âmbito desse programa, pela sua fama mundial, sua capacidade artística que é único. E temos a certeza que será uma mais-valia, porque aquilo que estamos a fazer no âmbito do projecto é realizar um circuito roteiro de arte urbana”, indica Mariangela Fornuto.

O projecto já recebeu 11 artistas internacionais, 35 nacionais, foi realizado cerca de 60 obras, e Achada Grande Frente já possui um roteiro muito rico.

“Vhils é um artista muito conhecido e famoso e tem uma técnica única, então esta obra vai dar um grande valor a este bairro, cidade e a Cabo Verde, porque a sua obra tem uma divulgação a nível mundial”, frisa.

Para Mariangela Fornuto, essa obra vai projectar Cabo Verde para todo o mundo.

Mindelo

Depois da cidade da Praia, Vhils rumou com a sua equipa para a ilha de São Vicente para oferecer aos são-vicentinos a obra que retrata a diva dos pés descalços Cesária Évora.

image

A obra foi esculpida na parede traseira da Alliance Française do Mindelo. Esta obra nasceu graças ao promotor do projecto, Patrick Borges, da produtora Kriol Ideias, em parceira com a Câmara da São Vicente.

Além da obra, Vhils realizou um workshop com os jovens artistas urbanos locais e uma Masterclass inserida na apresentação da Ocean Week 2019, em parceria com o Ministério da Economia Marítima.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,30 out 2019 7:23

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  31 mai 2020 23:21

1

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.