​Governo aponta 2020 como ano de consolidação da “nova visão” cultural

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,28 nov 2019 10:50

Abraão Vicente
Abraão Vicente

O Governo afirma que 2020 será o ano de consolidação de uma nova visão de gestão cultural em Cabo Verde, mesmo com os 0,71% do Orçamento do Estado destinado ao sector, disse ontem o ministro Abraão Vicente.

O ministro da Cultura e das Indústrias Criativas diz que o objectivo é fazer melhor no próximo ano, através da confiança na capacidade dos artesãos e financiamento das diversas activadas culturais. Abraão Vicente discursava ao início da noite desta quarta-feira, em São Vicente, na abertura da 4ª edição Feira Nacional de Artesanato e Design de Cabo Verde (URDI).

“2020 será o ano em que nós consolidaremos uma nova visão de gestão cultural em Cabo Verde, em que a principal entrega que faremos aos artesãos e aos artistas é a confiança na sua capacidade de fazer mais e melhor. Financiaremos o Mindelact, mais uma vez, a URDI, Morabeza [Festa do Livro], financiaremos ainda mais as iniciativas da sociedade civil. Este ano financiámos, em cerca de 12 mil contos, iniciativas da sociedade civil”, garante.

O ministro refere que o artesanato “está na moda” não só em Cabo Verde, sendo reconhecido pela UNESCO como uma actividade onde se pode criar rendimento digno e profissões formalizadas.

A tutela afirma que o sector do artesanato está completamente regulamentado em Cabo Verde. Hoje será entregue, pela primeira-vez no país, um cartão de artesão.

“Não é apenas um cartão vazio com nome, identidade e profissão. É um cartão do artesão, com segurança social, com o trabalho certificado do artesão, e com a perspectiva também de termos aqui em Mindelo um novíssimo Centro Nacional de Arte e Design”, esclarece.

Referindo-se ao Centro Nacional de Arte, Artesanato e Design (CNAD) em obras de ampliação e reabilitação, o ministro refere que no próximo ano, na URDI, “teremos como pano de fundo, não um edifício em reabilitação, mas o mais moderno centro de arte e investigação da arte contemporânea de Cabo Verde e de toda a Costa Ocidental Africana”.

A 4ª edição da URDI, projectada em torno do tema “Música – Poéticas Visuais”, conta com a participação de cerca de 200 artesãos de todas as ilhas. Os municípios da Boa Vista e do Maio são os destaques da edição que termina no dia 1 de Dezembro.

Para além dos nacionais, participam expositores de Angola, Bélgica, Brasil, Espanha, Guiné-Bissau e Portugal.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,28 nov 2019 10:50

Editado porSara Almeida  em  6 dez 2019 10:19

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.