​“O desafio este ano era não deixar cair a URDI” – Abraão Vicente

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,25 set 2020 13:38

Irlando Ferreira e Abraão Vicente
Irlando Ferreira e Abraão Vicente(Rádio Morabeza)

A 5ª edição da Feira Nacional de Arte, Artesanato e Design – URDI, que acontece entre os dias 25 e 29 de Novembro, está orçada em cerca de 3500 contos, abaixo de 50% dos orçamentos anteriores. Mesmo num formato diferente, por causa da COVID-19, há custos fixos para manter a qualidade do evento, disse hoje o ministro Abraão Vicente.

Este ano a URDI não existirá no seu formato tradicional, com tendas na Praça Nova, mas sim estará a acontecer em rede nacional, nos ateliês dos artesãos, sob o lema “Equilíbrio – ecologia + criatividade”.

O governante, que falava hoje durante a apresentação oficial do evento, refere que a pandemia tem tido um impacto “económico brutal”, e que o facto de o país estar parado prejudica o nível de disponibilidade financeira que o próprio ministério tem para implementar actividades como a URDI.

“Os museus viram o seu orçamento praticamente eliminado do Orçamento do Estado, e todos os eventos do Ministério da Cultura sofreram cortes a volta de 80%. Do orçamento aprovado no ano passado para 2020, comparado com o orçamento que vamos ter em 2021, o Ministério da Cultura terá um corte de 190 mil contos, grande parte no orçamento de investimento, diz.

O ministro da Cultura e das Industrias Criativas diz que “o desafio este ano era não deixar cair a Feira Nacional de Arte, Artesanato e Design” por causa do contexto pandémico que se vive neste momento. O governante aponta três razões para a insistência na realização do evento, mesmo com todas as dificuldades existentes.

“Primeiro para demostrar que o conhecimento e a prática artística foi continuada apesar da pandemia, segundo para consolidar o processo que nos levou não só à publicação do manual do artesão, mas à implementação do processo de cerificação do artesanato nacional, e terceiro demonstrar que o Estado está preparado para encontrar soluções inovadoras no mundo pós-pandemia”, justifica.

Para o responsável da pasta da cultura, a realização da URDI significa uma prova de resiliência do sector. Abraão Vicente garante que esta edição é a última que o Centro Nacional de Arte, Artesanato e Design (CNAD) promoverá fora da sua sede, que está em obras. Assegura que o espaço, completamente remodelado, reabilitado e equipado, será entregue entre Janeiro e Fevereiro do próximo ano.

Este ano o regulamento da URDI já prevê, na inscrição dos artesãos, todos os cuidados sanitários que devem ter dentro daquilo que já está estabelecido pelo Ministério da Saúde. Ou seja, toda a etiqueta sanitária necessária deve constar do espaço do artesão que vai participar, tendo em conta que vão receber pessoas nos seus ateliês.

O director do CNAD, Irlando Ferreira, garante que os artesãos terão apoio para preparar os seus espaços.

“Sabemos que os artesãos não têm as mesmas condições. Daí, a Câmara Municipal, o CNAD e o ponto focal vão estar a suportar os artesãos para que eles possam participar com a dignidade e qualidade desejadas”, garante.

A URDI 2020 acontece de 25 a 29 de Novembro, tendo de Porto Novo (Santo Antão) e São Miguel (Santiago) como os municípios convidados.

O programa iniciou com o concurso de design, que contou com 28 candidaturas provenientes de Santiago, Boa Vista e São Vicente, Portugal, Suiça e Holanda. Foram seleccionadas 14 peças.

A nível das residências criativas a URDI terá a residência “Fonténha” com sete artistas convidados de diferentes áreas que estarão no terreno, em Fontainhas, de 16 a 23 de Outubro. A nível das grandes conversas a organização pensou num formato mix – acontecem num formato físico a nível nacional e digital a nível internacional, salvaguardando os cuidados sanitários no contexto da pandemia da COVID-19.

Relativamente às oficinas há uma inovação este ano, com a URDI Júnior, que segundo Irlando Ferreira, tem como objectivo começar a criar a consciência criativa desde a base, trabalhando com os alunos. O prémio Djoy Soares será atribuído à peça mais bem analisada por um júri.

As inscrições para a 5ª edição da Feira Nacional de Arte, Artesanato e Design estão abertas até 30 de Setembro.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,25 set 2020 13:38

Editado porSara Almeida  em  30 out 2020 17:19

pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.