Artesãos e seus trabalhos disponíveis na internet

PorDulcina Mendes,2 jun 2021 12:35

A partir de hoje, os artesãos e os seus trabalhos vão estar acessíveis a todos através um click na internet. Tudo graças à plataforma digital SIArt (Sistema Integrado do Artesanato).

A plataforma foi apresentada esta quarta-feira, 2, em São Vicente, pelo director nacional de Arte, Artesanato e Design (CNAD), Irlando Ferreira e contou com a presença do Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente.

Segundo o director Nacional de Arte, Artesanato e Design, Irlando Ferreira este sistema vai facilitar o trabalho a nível da gestão e integração dos profissionais deste sector, “uma plataforma que fará conhecer os artesãos e conhecer os seus trabalhos e também poder ampliar a possibilidade de compra e venda de artesanato nacional”.

Além disso, Irlando Ferreira explicou que a plataforma permite gerir cartões do artesão e o selo create in Cabo Verde, porque a partir do selo com código criado qualquer indivíduo que lê esse código pode ir directamente a plataforma ou artesão detentor desse selo.

Para Abraão Vicente, esta plataforma é apenas um exemplo de como só construir um edifício pomposo e moderno não é suficiente para dar consistência ao sector. 

“O SIArt é tão importante como toda a obra de reabilitação que estamos a fazer na CNAD, dignificar as profissões, profissionalizar e formalizar perante a sociedade civil, e dar a quem exerce o artesanato e a profissão de artesão o reconhecimento social e profissional ligado à nobreza da profissão que exercem”, indica.

“Esse é apenas um exemplo daquilo que podemos fazer nas artes plásticas, música e outras profissões ligadas ao sector da cultura. Mais uma vez o Centro de Artesanato Arte e Design está um passo à frente mesmo dentro do sector da cultura”, afirma, dizendo que este é um momento simbólico para entendermos como o sector do artesanato está tão à frente a nível do seu processo de modernização e digitalização.

O Ministro da Cultura e das Indústrias Criativas afiança que, através desta plataforma estão a criar um processo de recolha de dados com capacidade e instrumento para gerir melhor o sector.

“Saber onde cada artesão está, saber onde é que cada produto é produzido, saber a sua autenticidade e sobretudo criar um nicho que pode ser cultivado apenas pelos artesãos cabo-verdianos, porque se há reclamações nas ilhas mais turísticas de que não temos arte Made in Cabo Verde, esta é uma plataforma que, através do seu processo de informação vai dar garantia aos turistas e nacionais quanto a qualidade do produto produzido”, explica.

Por outro lado, Abraão Vicente  disse que esta plataforma vai dar aos investidores a segurança e informações para gerir o sector. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,2 jun 2021 12:35

Editado porAndre Amaral  em  7 dez 2021 23:20

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.