Cabo Verde cai seis lugares no ranking Doing Business

PorExpresso das Ilhas,24 out 2019 11:48

País perde seis lugares em relação ao ano passado. Ranking é liderado pela Nova Zelândia. Singapura e Hong Kong fecham o Top 3. Documento foi lançado hoje, em Washington.

relatório do Banco Mundial sobre Doing Business colocou Cabo Verde na 137ª posição , descendo seis lugares em relação ao ranking elaborado no ano passado (131º).

Cabo Verde conseguiu este ano um total de 55 pontos (55,95 pontos há um ano) e as reformas realizadas pelo governo não foram suficientes para impedirem a descida na classificação.

Segundo o documento hoje publicado, Cabo Verde apresentou melhorias em sectores como “Início de Negócio: Cabo Verde tornou mais rápida a criação de novos negócios ao permitir a atribuição de licenças comerciais antes da realização de inspecções”.

No que respeita às licenças de construção, é um ponto positivo para Cabo Verde o facto de o país ter “investido na geo-referenciação e a criação de uma base de dados com informações geográficas”.

Cabo Verde está menos competitivo

Cabo Verde desceu uma posição no ranking da competitividade organizado pelo Fórum Económico Mundial. Cabo Verde melhorou a sua pontuação no Ranking Global da Competitividade e conseguiu 50,8 pontos na classificação final (no ano passado tinha conseguido 50,2). No entanto isso não foi suficiente para impedir a descida do país na classificação.

O acesso à electricidade é outra melhoria. “O acesso à electricidade foi facilitado depois de a concessionária ter tido permissão “para fazer trabalhos de escavação em benefício dos clientes a um preço reduzido”.

Finalmente, o registo de propriedade é também encarado como um ponto positivo. “Cabo Verde tornou mais rápido o registo de propriedade”, aponta o documento elaborado pelo Banco Mundial.

Como já foi referido, Cabo Verde ocupa a 137ª posição e é o terceiro mais competitivo no seio da CPLP. Portugal é 39º, Brasil 124º, Angola 177º, Moçambique 138º, Guiné-Bissau 174º e Guiné Equatorial 178º.

A nível mundial, a lista é liderada pela Nova Zelândia, seguida da Dinamarca, mantendo as posições do ano passado, com a diferença de que este ano a Dinamarca superou Hong Kong e chegou ao pódio dos países onde o ambiente empresarial é mais propício à realização de negócios.

A Nigéria e o Togo são dois dos países da África subsaariana que mais melhoraram no índice 'Doing Business'.

"As economias da África subsaariana continuaram a melhorar os seus ambientes de negócios, com a maior economia da região, a Nigéria, a ganhar um lugar entre os que mais melhoraram, juntamente com o Togo", lê-se no relatório.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,24 out 2019 11:48

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 nov 2019 9:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.