Portos de Cabo Verde registam recorde de passageiros e turistas de cruzeiro em 2019

PorExpresso das Ilhas, Lusa,14 jan 2020 15:18

1

O movimento de passageiros nos nove portos de Cabo Verde cresceu quase 9% em 2019, ultrapassando pela primeira vez a marca de um milhão de pessoas transportadas. A este recorde junta-se o de turistas em viagens de cruzeiro, 48.500 turistas, que visitaram o país, segundo dados preliminares a que a Lusa teve hoje acesso.

De acordo com um relatório estatístico da empresa pública Enapor – Portos de Cabo Verde, os portos cabo-verdianos totalizaram 1.069.642 passageiros movimentados entre Janeiro e Dezembro de 2019, contra os 981.842 em igual período de 2018.

Ao crescimento de 8,9% nos passageiros movimentados pelos portos cabo-verdianos de 2018 para 2019 soma-se o aumento de 10,2% no ano anterior. Esta tendência de crescimento tinha já levado a administração da Enapor a prever, no relatório e contas de 2018, a possibilidade de atingir a marca de um milhão de passageiros em 2019.

“Com esta tendência de crescimento, a Enapor deverá atingir em 2019, pela primeira vez, a marca de um milhão de passageiros”, lê-se no relatório.

Estes dados agregam o movimento de passageiros entre ilhas, tráfego de cabotagem e navios de cruzeiro.

O resultado é influenciado pelo aumento do número de passageiros transportados nas ligações interilhas, com a nova concessão do serviço público marítimo, em vigor desde 15 de Agosto e a cargo da CV Interilhas.

Globalmente, os portos Grande (ilha de São Vicente), com 397.142 passageiros, e Novo (ilha de Santo Antão), com 346.565 passageiros, lideram o movimento.

A Lusa noticiou em 10 de Janeiro que a CV Interilhas, encabeçada pelo grupo português Transinsular, transportou 220.000 passageiros nos primeiros cerca de quatro meses de concessão dos transportes marítimos em Cabo Verde, um aumento homólogo de 25%.

Em comunicado, a empresa cabo-verdiana que tem a concessão por 20 anos dos transportes marítimos de passageiros, veículos e carga nas ligações entre as ilhas de Cabo Verde, após concurso público internacional lançado pelo Governo em 2018, refere que os números até 31 de Dezembro último “são encorajadores”.

Segundo a CV Interilhas, os navios que estão ao serviço da empresa transportaram nestes pouco mais de quatro meses, em 1.800 viagens, cerca de 220.000 passageiros e 57.000 toneladas de carga, incluindo 18.000 viaturas.

A CV Interilhas é detida em 51% pela Transinsular, do grupo português ETE, enquanto os 49% pertencem a armadores cabo-verdianos, que fornecem os navios para estas ligações entre ilhas e que antes operavam de forma independente nas ligações entre ilhas.

Ainda durante o mês de Janeiro, garante a CV Interilhas, chegará ao país o primeiro navio novo no âmbito da renovação da frota, “que se encontra hoje em travessia do Canal Suez com destino a Cabo Verde, vindo da Correia do Sul onde foi construído”.

A chegada deste navio “virá reforçar a eficiência operacional da CV Interilhas, permitindo continuar a servir a população e a ligar as ilhas de Cabo Verde com o mesmo compromisso: regularidade, rapidez e segurança”, garante a empresa.

Terá capacidade para mais de 450 passageiros e 50 viaturas ligeiras, especificamente para fazer a ligação entre Santo Antão e São Vicente.

Novo recorde (também) no turismo de cruzeiro

Entre o mais de um milhão de passageiros registados estão 48.500 turistas em viagens de cruzeiro que visitaram Cabo Verde em 2019. Um aumento de 3% face ao ano anterior e um novo recorde, segundo dados provisórios da Enapor.

De acordo com referido relatório estatístico de 2019, os portos cabo-verdianos receberam então, no total, 48.495 passageiros de navios de cruzeiro, um aumento de 1.415 face a 2018 (+3%).

Já em 2018 os turistas que chegaram a Cabo Verde em navios de cruzeiro tinha batido um recorde, ultrapassando os 47.000. Tratou-se então de um aumento de 10.000 turistas face a 2017 (+24%).

Globalmente, os portos de Cabo Verde receberam em 2019 um total de 7.862 navios, de todo o tipo de carga e passageiros (-1% face a 2018). Destes, 147 eram navios de cruzeiro, o que até representou uma quebra de 26,1% face aos 199 registados em 2018.

Estas escalas de navios de cruzeiro estão praticamente concentradas no Porto Grande (26.021 passageiros), no Mindelo, na ilha de São Vicente, que aumentou 14,8% face a 2018, e no Porto da Praia (14.107 passageiros), ilha de Santiago, neste caso com uma quebra homóloga de 22,5%.

No relatório da Enapor de 2018, a empresa já destacava que o “negócio de cruzeiros em Cabo Verde alcançou um novo marco” naquele ano, com um recorde de escalas de navios de cruzeiro nos portos nacionais.

Segundo o mesmo relatório, 2018 ficou ainda “marcado pela assinatura do donativo de 10 milhões de euros do Governo holandês, através do Fundo Orio, para o financiamento da construção do terminal de cruzeiros do Mindelo”, bem como pela entrada da Enapor na lista dos associados da MedCruise – Associação dos Portos de Cruzeiros do Mediterrâneo, que representa mais de 100 portos e 30 empresas.

A Lusa noticiou no final de Outubro que o futuro terminal de cruzeiros da ilha cabo-verdiana de São Vicente avança em 2020, num investimento público superior a 2.900 milhões de escudos (26,2 milhões de euros) em três anos, prevendo movimentar, anualmente, 200.000 passageiros.

A informação consta da lei do Orçamento do Estado para 2020, sendo uma das mais emblemáticas obras públicas projetadas pelo Governo para o próximo ano, já com uma dotação orçamental para o arranque da empreitada de 972 milhões de escudos (8,8 milhões de euros).

Em 2021, o Governo prevê uma dotação de 1.152 milhões de escudos (10,4 milhões de euros) para os trabalhos na infraestrutura, acrescidos de 779 milhões de escudos (sete milhões de euros) em 2022, ano em que o terminal de cruzeiros de São Vicente deverá ficar concluído.

“O Governo pretende transformar Cabo Verde numa plataforma marítima, devendo ser implementada a Zona Económica Especial de Economia Marítima, garantindo a inserção competitiva de Cabo Verde na economia regional e internacional”, lê-se no documento.

Acrescenta que “para atingir esse objectivo, na ilha de São Vicente será construído um terminal de cruzeiros, que terá um impacto enorme nas economias de São Vicente e Santo Antão, assim como um efeito indutor na economia de Cabo Verde”.

Cerca de 760 mil turistas visitaram Cabo Verde em 2018, sendo a meta do Governo chegar a um milhão de turistas no arquipélago em 2021.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,14 jan 2020 15:18

Editado porSara Almeida  em  2 jun 2020 23:21

1

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.