FMI empresta 32 milhões de dólares a Cabo Verde para combater efeitos da COVID-19

PorAndre Amaral,23 abr 2020 12:30

Decisão foi anunciada pelo Governo em comunicado enviado à Comunicação Social. Para o ministro das Finanças o valor desembolsado pelo FMI permite "reforçar o investimento no sector da saúde" e tornar "o sector mais resiliente".

O dinheiro, refere o comunicado, será canalizado para o "reforço do acesso aos cuidados de saúde, aumentando a cobertura para todos e a todas as regiões, com uma qualidade elevada, não deixando ninguém para trás". 

Outra parte destes 32 milhões de dólares vai ser canalizada "para as medidas que visam a protecção de rendimento das famílias" mais carenciadas.

O financiamento é feito através de um mecanismo do Fundo Monetário Internacional, o Rapid Credit Facility (RCF) que é "é uma assistência financeira concessional aos países membros do FMI, atribuída a uma taxa de juro de zero por cento (0%) para fazer face às necessidades urgente da balança de pagamentos".

O governo aponta que o FMI "tem confirmado o desempenho da Economia Cabo-verdiana, como sendo exemplar" mas o impacto do surto da pandemia de Covid-19 "na economia global e nos fluxos de turismo tem afectado gravemente a economia do país, exigindo medidas de política e o apoio coordenado dos parceiros de desenvolvimento de Cabo Verde".

De recordar que recentemente o ministro das Finanças, Olavo Correia, reconheceu que o Orçamento do Estado aprovado para 2020 "pifou" e que de um crescimento positivo de 6% da economia se passará para uma recessão económica com uma redução do valor do PIB em 4% e uma duplicação do valor do desemprego.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,23 abr 2020 12:30

Editado porSara Almeida  em  20 set 2020 23:20

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.