Desemprego a 11,3% em 2019

PorAndre Amaral,3 jun 2020 10:29

Agricultura continua a perder mão de obra em Cabo Verde
Agricultura continua a perder mão de obra em Cabo Verde

Dados foram divulgados, esta manhã, pelo Instituto Nacional de Estatística. Em 2019 a taxa de desemprego foi de 11,3%. Desemprego jovem e subemprego diminuíram no segundo semestre.

Começando pelos dados do segundo semestre do ano passado, o Instituto Nacional de Estatística diz no seu relatório sobre os indicadores do mercado de trabalho que a “população desempregada estimada em 27.676 pessoas, aumentou em relação ao semestre anterior, em 11,4%, com mais 2.833 pessoas disponíveis e à procura de trabalho”, mas também assinalou que no mesmo período o número de pessoas em situação de sub-emprego diminuiu “cerca de 32% (9.892 pessoas), quando comparado com o primeiro semestre do mesmo ano, contribuindo, deste modo, para uma redução da taxa de subemprego em 4,8 p.p., (15,1% para 10,3%)”.

Ainda assim, apesar do aumento da população em situação de desemprego no segundo semestre do ano passado, o INE revela que, a nível anual, o número de pessoas empregadas aumentou.

“Em 2019, a população empregada foi estimada em 206.344 pessoas, aumentando 5,8% (11.344 pessoas) e a taxa de emprego/ocupação, situou-se em 50,9%, aumentando de 2,1 p.p., face a 2018 (48,8%)”, revela o INE.

O sector terciário continua a ser aquele que “lidera e absorve a maioria dos empregos (67,5%) e a apresentar um aumento de 8,1%, com destaque para o ramo de actividade do comércio que absorveu 16,3% dos empregos em 2019. O emprego no sector secundário igualmente cresceu 4,1%, passando a representar 21,4%”.

Já em sentido contrário o INE diz que se verificou “mais uma diminuição no peso relativo do sector primário, em 2,3% e uma diminuição nos empregos, em 2,3%”.

“O sector empresarial privado continua a absorver a grande maioria dos empregos (40,1%). Cerca de 26% dos empregos são por conta própria. Os empregos informais, empregadores, trabalhadores por conta própria e em cooperativas do sector informal, os trabalhadores sem remuneração, ou os por conta de outrem e que não beneficiam de proteção social (inscrição no INPS ou benefício de férias anuais pagas e dias de repouso por motivos de doença pagos) representam 53,7% do total dos empregos, em 2019. Relativamente ao ano de 2018 regista-se uma diminuição de 1,2 p.p. (54,9% em 2018)”.

Também o desemprego jovem registou uma diminuição durante o ano passado. Segundo o INE, o desemprego entre os 15 e os 24 anos registou uma diminuição “de 2,8 p.p., fixando em 24,9% em 2019 (27,9% em 2018). No grupo etário 25-34 anos, igualmente uma registou a diminuição de 1,7 p.p., fixando em 13,3%, em 2019”.

Já o total de jovens 15-35 anos sem emprego e fora do sistema de ensino ou formação diminui 10,7% (6.919 jovens), ou seja, de 64.424 em 2018 para 57.605 em 2019, passando estes a representar 27,8% da totalidade dos mesmos, nesta faixa etária. Uma redução de 2,9% (5.157 pessoas) da população inativa e de 1,8 p.p. da taxa de inatividade que passa de 44,4% em 2018 para 42,6% em 2019”, aponta ainda o INE.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,3 jun 2020 10:29

Editado porSara Almeida  em  14 jul 2020 8:19

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.