Governo demarca-se da actualização dos preços da electricidade

PorAndre Amaral,9 set 2021 14:15

O ministro da Energia, Alexandre Monteiro, disse esta quinta-feira que a actualização dos preços da electricidade é competência exclusiva da entidade reguladora. Ainda assim o governante anunciou que medidas que farão baixar o preço da electricidade serão anunciadas "antes que a actualização feita pela ARME entre em vigor".

A declaração do ministro foi feita hoje, em conferência de imprensa, no Palácio do Governo.

Alexandre Monteiro começou por afirmar que a actualização dos preços da electricidade é da competência exclusiva da entidade reguladora mas afiançou que "ninguém vai ficar a pagar mais pela electricidade do que antes da pandemia", lembrando que durante este período "o preço da electricidade baixou por duas vezes".

O aumento de 30 a 37% do valor da electricidade trata-se, por isso, de um regresso a valores anteriores a Março do ano passado altura em que a COVID-19 foi diagnosticada pela primeira vez em Cabo Verde.

O ministro anunciou igualmente que o governo vai tomar medidas para que o preço da electricidade baixe antes da entrada em vigor da actualização anunciada pela ARME a 1 de Outubro.

De recordar que a ARME actualizou, na passada quinta-feira, os preços da electricidade a serem praticados pela Eletra e pela AEB. Conforme esta actualização as tarifas de electricidade da ELECTRA sofrem um ajuste de 6,43 ECV/kWh para cada kWh facturado e em todos os escalões, correspondendo um aumento da tarifa média ponderado pelas quantidades facturadas de 2020 de 30,53%.

Em relação às tarifas da Água e Energia da Boa Vista (AEB), sofrem um ajuste de 5,80 ECV/kWh para cada kWh facturado e em todos os escalões, correspondendo um aumento da tarifa média ponderado pelas quantidades facturadas de 2020, de 24,55%.

Questionada pelo Expresso das Ilhas a ARME, através do seu Director do Departamento de Eletricidade Água e Saneamento, José Delgado, explicou que esta "variação tem por razão somente a variação nos custos reconhecidos com os combustíveis utilizados na produção de energia durante o período de actualização e o seu repasse aos consumidores finais".

Quanto a um possível aumento do incumprimento no pagamento das facturas de electricidade por parte dos consumidores José Delgado explicou que as tarifas que vão entrar em vigor a partir do dia 1 do próximo mês "voltam sensivelmente às mesmas tarifas vigoradas antes da pandemia (março de 2019). Refira-se que desde desse período até então a ARME fez duas actualizações em baixa, em Setembro 2019 e Outubro de 2020. Pelo que não se deve falar em potenciar o incumprimento por parte dos consumidores uma vez que não é a primeira vez que as tarifas de eletricidade atingem esses valores".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Andre Amaral,9 set 2021 14:15

Editado porAndre Amaral  em  25 set 2021 22:19

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.