Cerca de 95% das linhas de crédito lançadas pelo governo já foram utilizadas

PorExpresso das Ilhas, Lusa,3 nov 2021 9:36

Praticamente 95% das linhas de crédito covid-19, lançadas em 2020 pelo Governo para mitigar as dificuldades das empresas, já foram utilizadas, com 521,7 milhões de escudos de financiamentos feitos só este ano, segundo dados oficiais.

De acordo com o mais recente Relatório de Política Monetária do Banco de Cabo Verde (BCV), de Abril de 2020 a Agosto de 2021 “já foi concedido e utilizado” um montante total de quase 3.120 milhões de escudos (28,3 milhões de euros) “no âmbito das linhas de crédito covid-19 com garantia do Estado”.

Destes, 521,7 milhões de escudos (4,7 milhões de euros) foi o valor “concedido e utilizado de Janeiro a Agosto deste ano”, o que compara com os 2.598 milhões de escudos (23,6 milhões de euros) concedidos de Abril a Dezembro do ano passado, então com mais de 350 contratos de financiamento ao abrigo destas linhas, destinadas essencialmente a suportar custos das empresas com salários, rendas de instalações e pagamento de faturas, e fornecimentos de serviços a terceiros.

Todas as linhas de crédito beneficiam da garantia do Estado e a taxa de juro não deve ultrapassar os 3%, com um período de carência de seis meses, recorda o BCV.

No final de Março de 2020, com as primeiras consequências económicas da pandemia de covid-19, nomeadamente a suspensão do turismo, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, anunciou um conjunto de medidas para “apoiar as empresas e aumentar a sua liquidez”, nomeadamente a criação de quatro linhas de crédito e autorizadas garantias do Estado.

“Asseguram-se linhas de crédito suportadas pelo sistema bancário, no valor global até quatro milhões de contos [36,2 milhões de euros, incluindo uma linha para pequenas empresas nas compras públicas], com garantias do Estado que podem chegar aos 100% do financiamento, com carência de capital e de juros até seis meses e amortização em quatro a cinco anos”, anunciou Ulisses Correia e Silva.

Em concreto, a primeira linha de financiamento, no valor de mil milhões de escudos (nove milhões de euros), destina-se às grandes empresas em todas as áreas de actividade, com garantia do Estado de até 50%.

A segunda linha de financiamento, no mesmo valor, destina-se a empresas nos sectores do turismo, restauração, organização de eventos e sectores conexos, agências de viagens, transportes, animação e similares, com garantia até 80%.

Para as pequenas e médias empresas, foi lançada uma terceira linha de financiamento, igualmente de mil milhões de escudos, em todos os sectores da actividade e com garantia do Estado até 100%.

Foi criada uma quarta linha de financiamento, de 300 milhões de escudos (2,7 milhões de euros), para microempresas, em todos os sectores, com garantia até 100%, totalizando 3.300 milhões de escudos (30 milhões de euros), com praticamente 95% já atribuídos, até Agosto último, conforme o relatório do BCV.

Foram ainda alocados 700 milhões de escudos (6,3 milhões de euros) para a linha de garantias para as micro, pequenas e médias empresas, destinada a suportar operações de compras públicas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,3 nov 2021 9:36

Editado porSara Almeida  em  26 jan 2022 23:20

pub.

pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.