PIB cresce 10,2% no primeiro trimestre de 2024

PorSheilla Ribeiro,1 jul 2024 9:31

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou hoje que o Produto Interno Bruto (PIB) nacional registou um aumento de 10,2% em termos reais no primeiro trimestre de 2024, comparado ao período homólogo. Esta taxa é 3,6 pontos percentuais (p.p.) superior à verificada no quarto trimestre de 2023.

Segundo os dados do INE, o Valor Acrescentado Bruto (VAB) a preços de base cresceu 10,4% no primeiro trimestre, 2,7 p.p. acima do trimestre anterior. O VAB da agricultura aumentou 18,2%, contribuindo com 0,8 p.p. para o crescimento do PIB.

Já as Indústrias Transformadoras registou um aumento de 12,6%, comparado a apenas 0,1% no trimestre anterior, contribuindo com 0,6 p.p. para o PIB.

Na Construção houve uma diminuição de 4,5% no VAB, resultando numa contribuição negativa de 0,2 p.p. para o crescimento do PIB.

Já o Comércio apresentou um aumento de 7,8%, comparado a 1,0% no trimestre anterior, contribuindo com 0,9 p.p. para o PIB.

Tanto o Transporte, como a Armazenagem e Alojamento e Restauração mostraram variações significativas, com aumentos de 26,5% e 33,8% respectivamente, contribuindo com 2,9 p.p. e 2,7 p.p. para o crescimento do PIB.

“O VAB do ramo da Administração Pública teve, no 1.º trimestre de 2024, uma variação homóloga negativa de 1,4% (8,6% no 4.º trimestre de 2023), contribuindo em -0,1 p.p. para a variação total do crescimento do PIB. Por sua vez, os Impostos Líquidos de Subsídios sobre os Produtos, em termos reais, apresentaram uma variação homóloga positiva de 9,1% no 1.º trimestre, contribuindo em 1,3 p.p. para a variação total do PIB”, lê-se.

Consumo e investimento

O consumo final, incluindo privado e público, teve um aumento de 10,5%. O consumo privado cresceu 13,1%, enquanto o consumo público aumentou 0,6%.

Por outro lado, o investimento registou uma variação negativa de 40,8%, um agravamento em comparação com a diminuição de 33,2% no trimestre anterior.

Ainda segundo o INE, as exportações de bens e serviços cresceram 13,5%, com as exportações de serviços aumentando 19,3% e as de bens 0,3%. As importações de bens e serviços diminuíram 6,0%, com uma queda de 7,0% nas importações de bens e 2,1% nas de serviços.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Sheilla Ribeiro,1 jul 2024 9:31

Editado porAndre Amaral  em  25 jul 2024 17:20

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.